Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 15-12-2006

SECÇÃO: Espaço Europeu

Programa Erasmus faz 20 anos

O programa de intercâmbio de estudantes universitários Erasmus faz 20 anos, tendo longo das duas décadas beneficiado mais de um milhão e meio de estudantes, 60% dos quais do sexo feminino. A Comissão Europeia espera agora atingir os 3 milhões de universitários em 2012. Lançado em Junho de 1987 com a participação de 3 244 estudantes, o Erasmus chegou, em 2005, aos 144 mil universitários, dos quais 3845 portugueses.
No ano lectivo 2005/2004, Alemanha aparece no topo da lista com 22 mil estudantes, seguida de França com 21 mil, de Espanha com 20 mil e de Itália com 16 mil universitários. No que toca às universidades escolhidas, as espanholas parecem ter mais sucesso, nomeadamente as de Granada, Madrid, Valência e Barcelona. Seguem-se as italianas de Bolonha, Florença e Roma. Em relação às instituições que enviam mais universitários, também as universidades espanholas aprecem no topo da lista, nomeadamente as de Madrid, Valência e Granada. Segue-se a Itália (Bolonha e Florença), Alemanha (Berlim) e Suécia (Lund).
O programa Erasmus concede em média cerca de 135 milhões de euros por ano a bolsas destinadas a financiar a permanência de estudantes e professores em mais de 2.000 universidades de 31 países.

foto




O programa de trabalho «Educação e Formação 2010» da União Europeia define o enquadramento das políticas nacionais e dos programas financiados pela UE. Um dos principais programas subvencionados pela UE é o programa Leonardo da Vinci, para a formação profissional e a aprendizagem ao longo da vida. Este programa promove intercâmbios e projectos transnacionais que procurem desenvolver a inovação e o espírito empresarial, melhorar a qualidade da formação e facilitar a obtenção e a utilização de formação profissional e de competências noutros países.
Programas para estudantes
O programa Erasmus, em que participam estudantes e professores, concede em média cerca de 135 milhões de euros por ano a bolsas destinadas a financiar a permanência de estudantes e professores em mais de 2.000 universidades de 31 países.
Um programa distinto Erasmus Mundus, aberto a estudantes e académicos de todo o mundo, promove cursos de mestrado envolvendo consórcios de pelo menos três universidades europeias.
Os programas Leonardo da Vinci e Erasmus abrangem a UE, a Islândia, o Liechtenstein, a Noruega, a Bulgária, a Roménia e a Turquia. A Suíça também participa, mas de forma limitada.
Grundtvig, para os programas de aprendizagem ao longo da vida. 
Comenius, destinado à cooperação entre os estabelecimentos de ensino e respectivos professores.
Lingua, que promove a diversidade linguística, a qualidade do ensino das línguas e as oportunidades de aprendizagem das línguas ao longo da vida.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.