Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 31-10-2006

SECÇÃO: Região

Unidade de Internamento de Cabeceiras de Basto arranca em Novembro

A construção da Unidade de Internamento de Cabeceiras de Basto vai arrancar já em Novembro. Segundo informação divulgada, a execução desta importante obra que foi adjudicada pelo valor de 660.450,00 Euros, equivalente a cerca de 133 mil contos, tem início marcado para o mês de Novembro, culminando desta forma um longo processo, que envolveu autarcas e população local numa “luta” concelhia por melhores condições de saúde.

foto
Recorde-se que este é um processo que remonta ao ano de 2000, altura em que foi celebrado um protocolo entre a Câmara Municipal e a ARSNorte destinado à construção do edifício da Unidade de Internamento, na sede do concelho e no qual eram definidas as responsabilidades conjuntas destas duas entidades, tendo em vista a sua concretização. Na ocasião a Autarquia disponibilizou o terreno necessário à sua construção e elaborou o respectivo projecto que, em 2002 e após aprovação do programa funcional da Unidade de Internamento a construir pelo Governo, foi aprovado pela ARSNorte.
Volvidos dois anos, em 15 de Abril de 2004, a Sub- Região de Saúde de Braga assinou um protocolo de colaboração com outra instituição concelhia, que inviabilizava e anulava o anterior compromisso assumido com a Autarquia Cabeceirense no que diz respeito à reclamada construção da Unidade de Internamento junto ao edifício do Centro de Saúde. Tal atitude originou o descontentamento local, com a realização de manifestações públicas da população e a dinamização de uma Comissão de Utentes que levou a que a Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto colocasse o Governo em Tribunal.

Governo assume protocolo estabelecido em 2000

Edifício do Centro de Saúde de Cabeceiras de Basto
Edifício do Centro de Saúde de Cabeceiras de Basto
A Autarquia retomou este ano o processo com o actual Governo que decidiu viabilizar o compromisso assumido no Protocolo de 2000, através do próprio Ministro da tutela, Dr. Correia de Campos, que aproveitou uma visita ao Município para assinar um novo protocolo viabilizando-se assim, a realização da obra da Unidade de Internamento. Homologado pelo Ministro da Saúde, o presente contrato prevê a entrega da execução da obra à Câmara de Cabeceiras de Basto e neste âmbito seguiu-se a colocação da obra a concurso público. Uma vez ultrapassadas todas as fases do concurso, a construção do edifício da Unidade de Internamento já foi adjudicada prevendo-se que o mesmo fique concretizado no prazo de oito meses, ou seja, no decurso do ano 2007.
A construção da Unidade de Internamento garante assim, a prestação de três serviços no mesmo edifício, ou seja, o ambulatório, o serviço atendimento permanente (SAP) e de internamento por conta do Estado. O novo edifício destinado ao internamento será dotado com 15 camas e mais uma adicional para cuidados terminais.
Desta forma estão reunidas condições para a prestação de melhores serviços de saúde às populações de Cabeceiras de Basto e de outros concelhos limítrofes que aqui acorrem.
Este é o epílogo feliz de um processo que fez correr muita tinta e que envolveu muita gente, gerou descontentamentos na população e até chegou à barra do Tribunal.
Acabou por ser satisfeita uma legítima aspiração das populações desta região, vencendo por isso, o interesse público, ou seja, os desejos e a vontade de muitos milhares de utentes do Centro de Saúde de Cabeceiras de Basto que vêm garantidas melhores condições nas prestações dos cuidados de saúde a que têm direito.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.