Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 15-09-2006

SECÇÃO: Opinião

Regresso às aulas…uma turbulência familiar

foto
O mês de Setembro é caracterizado pelo mês das mudanças, das renovações, começando pela queda da folha para que na Primavera sejamos rodeados de flores e árvores verdes, início do tempo mais fresco, começo de uma estação que nem todos gostam (frio e chuva), que nos leva a refugiar em nossas casas mais quentes, a mudar o guarda-fatos e começar a usar o vestuário próprio de Outono, em que um casaco será o nosso mais certo companheiro.
Todavia, o Setembro não nos traz apenas isto na lembrança mas, também, o tempo das vindimas onde se reúne as famílias para procederem à vindima e fazer aquele vinho doce que só nesta época há, assim como a nossa grandiosa festa em honra de S. Miguel que, durante 10 dias, nos traz muita animação e tradições ao de cima.
É tempo, igualmente, do regresso às aulas, da saída dos tão polémicos resultados de colocação de professores, que tantas páginas de comunicação social fazem correr, que com tantas e diversas medidas cumpridas não parece ter jeito de se encaixar bem as peças do puzzle, e este ano não foi excepção, pois por mais que as peças estejam melhores limadas, ainda precisam de se ajustar às outras para que todos possamos ver o puzzle construído.
Paralelamente à colocação dos professores, esta é a época em que as famílias entram em turbulência, por um lado para comprarem o material escolar de cada filho, que cada vez mais engorda o carrinho de exigências de materiais e a factura cresce exponencialmente, arrebentando com as costuras de muitos orçamentos familiares, e por outro, a saída daqueles em que um concurso nacional os levam para longe dos seus entes queridos, em busca de um canudo que ainda pensamos, ingenuamente ou não, que nos trará uma melhor qualidade de vida e um futuro profissional garantido.
Na óptica dos alunos, este mês representa uma nova etapa, o início de um ciclo em que enquanto actores da sua própria vida, conhecerão novos intervenientes, verão novos horizontes, subirão outro degrau rumo à escalada que a família e o Governo insistem que escalem. É, similarmente, um mês de esperança em recuperar o que ficou desleixado no ano anterior, assentar bem os objectivos pretendidos, enfim, um mês de mudanças.

Por: Sílvia Machado

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.