Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 15-07-2006

SECÇÃO: Região

Município de Cabeceiras de Basto aprova Carta Educativa

Ainda na sequência das principais deliberações tomadas na reunião de Câmara, realizada no edifício dos Paços do Concelho, no pretérito dia 22 de Junho, o executivo municipal aprovou a Carta Educativa para o Município de Cabeceiras de Basto. Trata-se de um instrumento de planeamento que permitirá o desenvolvimento de uma estratégia no sentido de orientar o sistema educativo em função do desenvolvimento económico e sociocultural, tomar decisões ao nível da construção de novos equipamentos, do encerramento de escolas e da reconversão e adaptação do parque escolar. Ou seja, o Município de Cabeceiras de Basto ao aprovar este documento prepara-se para avançar com a remodelação do sector educativo do concelho. Vai ser posto em prática um trabalho que reúne propostas e linhas orientadoras que definem o futuro das escolas cabeceirenses, para os próximos anos e que entrará em vigor logo que seja homologado pelo Ministério da Educação.

Município vai avançar com remodelação do sector educativo no concelho
Município vai avançar com remodelação do sector educativo no concelho
A Carta Educativa aprovada pela Câmara e pela Assembleia Municipal, é um documento que apresenta um conjunto de propostas e soluções, tendo em conta as orientações traçadas pelo Ministério da Educação. Este é o culminar de um trabalho realizado ao longo dos últimos anos [desde 2004], que envolveu vários agentes ligados ao sector da educação tais como, autarcas, associações de pais, representantes dos ensinos pré-escolar e básico público, Direcção Regional de Educação do Norte, Juntas de Freguesia, instituições de solidariedade social, serviços públicos de saúde, serviços de Segurança Social, serviços de Emprego e Formação Profissional, das forças de segurança, entre outros, que tem por base um diagnóstico dos principais problemas educativos do concelho.
Assim, as principais alterações previstas incidem ao nível do primeiro ciclo, onde o reordenamento da rede escolar prevê, de forma gradual, a suspensão dos estabelecimentos de ensino que não respondam a condicionantes que garantam uma educação de qualidade, acoplando-se em Centros Educativos de maior dimensão, capazes de proporcionar melhores condições de aprendizagem e leccionação para alunos e professores.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.