Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 15-07-2006

SECÇÃO: Opinião

O Efeito Social do Campeonato do Mundo

foto
Durante estes 2 meses decorreu o Campeonato de Futebol Mundial cuja Alemanha foi o palco das emoções. Muita tinta correu pelo mundo acerca deste evento, o jornalismo fixou o seu olhar em cada passo das selecções participantes, fomos invadidos pelos jornais/revistas, rádios e televisões com as descrições do dia a dia de cada jogador e seleccionador aos comentários dos jogos e comportamentos dos envolventes.
É importante reflectir no efeito que os campeonatos de futebol provocam no comportamento social, quer sejam campeonatos nacionais como internacionais. É de facto impressionante como um evento desportivo une povos, realça o espírito patriota, “pára o mundo” na hora dos jogos.
Nestas últimas semanas, as ruas em Portugal ficavam desertas aquando dos jogos, as casas e carros enfeitados com a bandeira nacional, as pessoas vestidas a rigor com as cores da selecção ou mesmo bandeiras enroladas em seu corpo como se de uma peça de roupa se tratasse. O tema do dia não era mais do que os comentários dos jogos, do comportamento deste ou daquele, das perspectivas do próximo jogo, fazendo pensar que nada mais existia senão o campeonato futebol.
Cada passo do campeonato foi vivido com uma intensa emoção e, também, desilusão para aqueles que iam sendo eliminados no decorrer do campeonato, este evento passou a ser prioritário na vida dos patriotas das selecções em disputa.
Para aqueles que não são amantes deste tipo de desporto, questionam-se: “Como é possível que uma bola redonda e um campo relvado com 22 homens e um árbitro atrás dessa bola, consegue mobilizar o mundo inteiro? Algo que nem as catástrofes naturais são capazes fazer? Sendo assim, porque não se utiliza todo este movimento singular para questões sociais graves que o mundo está a passar de modo a solucioná-las? Assim dávamos azo àquele lema “um por todos e todos por um”…”
Creio que mesmo aqueles amantes mais profundos do futebol já se questionaram sobre esta perspectiva, pois é impossível ignorar os efeitos sociais que este evento reporta na sociedade, tudo pára, os olhares fixam-se naquele palco em que tudo é possível acontecer, o mais vigiado até então, as bandeiras transformados nos mais diversos utensílios, mesmo naqueles criativos que nunca nos passou pela cabeça transformar a nossa amada bandeira, o hino, que no espaço entre estes eventos é esquecido, passa a ser a música de fundo do quotidiano, tudo se rege em volta dos horários estabelecidos pela FIFA.
Sociologicamente, este assunto já foi tema de várias investigações, bem como no âmbito da psicologia, uma vez que o ser humano elege um bem comum utilizando-o como a luz do fundo do túnel, sendo neste caso a vitória do campeonato do mundo. Porventura, aqueles assuntos que dependem da nossa mobilização e acção, são muitas vezes arrastados pelo vento e esquecidos pela fraca memória que caracteriza o homem.
Se o chefe de fila de muitos combates fosse o Scolari, tenho a certeza que problemas graves que estamos a atravessar já faziam parte do nosso passado.

Por: Sílvia Machado

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.