Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 31-03-2006

SECÇÃO: Última Página

Em Cabeceiras de Basto
Primeiro Ministro inaugura rede de auto-estradas com ligação à Europa

O Primeiro Ministro de Portugal, Engº José Sócrates deslocou-se no passado dia 21 de Março, ao Município de Cabeceiras de Basto, mais propriamente à vila do Arco de Baúlhe para ali proceder à inauguração da A-11, na ligação entre Guimarães e Felgueiras (com 10 km de extensão), último troço que faltava para concluir toda a rede de concessão Norte do grupo AENOR, o que representa 170 quilómetros de auto-estrada, num investimento de 1500 milhões de euros.

O Autarca de Cabeceiras, Joaquim Barreto satisfeito com a conclusão desta Rede de Auto-estradas que serve a Região Norte de Portugal e liga o concelho aos grandes centros e à Europa
O Autarca de Cabeceiras, Joaquim Barreto satisfeito com a conclusão desta Rede de Auto-estradas que serve a Região Norte de Portugal e liga o concelho aos grandes centros e à Europa
Com a abertura ao tráfego deste troço de auto-estrada, fica criada uma ligação rápida entre o Porto e as várias regiões do Vale do Sousa e do Ave, mas fica essencialmente, garantida e interligação com a A7, a Sul de Guimarães, facilitando o acesso desta região ao litoral norte, a Espanha e à restante Europa.

Auto-estradas factores de desenvolvimento

A cerimónia de inauguração decorreu numa tenda situada no Nó de Basto, em Cabeceiras de Basto. Com foguetes e palmas do numeroso povo presente, o Primeiro Ministro disse estar a fazer-se justiça para que esta região se possa afirmar e desenvolver.
Na sua intervenção, José Sócrates realçou o facto de agora haver condições que permitem a ligação entre os quatro distritos, disponibilizando uma nova mobilidade entre o Alto Minho e Trás os Montes e destas regiões ao Porto e a Braga. Fica assim permitida a “dinamização das relações económicas e de interdependência existentes há séculos”.
A dinamização económica foi assim, um dos factores salientados por José Sócrates, para quem a conclusão da rede de auto-estradas representa um triplo valor que se estende à segurança e à qualidade de vida das pessoas. A segurança reflecte-se na redução de acidentes, ideia realçada também neste cerimónia por António Laranjo, Presidente de Estradas de Portugal. “As estatíticas demonstram que as auto-estradas diminuem a sinistralidade em 50 por cento” adiantou José Sócrates.
Referiu ainda que a qualidade de vida e o conforto é notório e destacou que a mobilidade agora adquirida torna tudo mais fácil, contrapondo ao “inferno que era o trajecto entre Vila Pouca de Aguiar e o Porto”, há anos atrás.
O Primeiro Ministro enalteceu assim, a rede de auto-estradas, iniciada em 1999 e concluida em 2006, definindo-a como um trabalho perfeito, uma vez que foi executada num período inferior ao esperado por muitos, que apontavam para um prazo de execução superior a dez anos. Disse ainda, que agora é preciso saber usar estas vias e afirmou que as “gentes da região saberão aproveitar em prol do desenvolvimento”. A sua construção vem desta forma, colmatar a falta de investimentos em transportes na zona norte que se encontrava muito atrasada em relação ao que foi feito no Sul do País.
Um novo ciclo no combate ao isolamento
O Engº José Sócrates sublinha as vantagens da Auto-estrada para a região
O Engº José Sócrates sublinha as vantagens da Auto-estrada para a região

Na cerimónia que contou ainda com as intervenções do Ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, Mário Lino, do Presidente do Conselho de Administração da EP- Estradas de Portugal, António Laranjo e na qual estiveram presentes autarcas, técnicos, convidados e população em geral, o Presidente da Câmara anfitrião, Joaquim Barreto, manifestou a sua satisfação pela realização deste acto em Cabeceiras de Basto, que marca a conclusão da Concessão Norte de Auto-estradas de Portugal, pela AENOR.
Encerra-se assim, um ciclo muito importante que quebra o isolamento desta vasta região e permite uma ligação mais fácil do interior Norte para o Litoral e para os grandes centros urbanos como são, Porto e Braga, disse Joaquim Barreto.
Na ocasião o autarca recuou no tempo para lembrar, que em Março de 1996, os Presidentes e representantes das Câmaras Municipais de Fafe, Cabeceiras, Celorico, Ribeira de Pena, Vila Pouca de Aguiar, Montalegre, Chaves, Boticas e Valpaços, reuniram-se para propor ao Governo de então liderado pelo Engº António Guterres, através do Minsitro das Obras Públicas, Engº João Cravinho, a construção da auto-estrada A7 e das vias às sedes dos concelhos. Volvidos dez anos, o objectivo prioritário destes autarcas está realizado. “Temos agora uma rede de Auto-estradas, com ligações a vários concelhos, que nos aproxima das grandes cidades de Portugal e dentro de meses nos ligará a Espanha e ao centro da Europa”. Para este autarca, a A7-IC5 é sem dúvida a mais importante estrutura viária trans-europeia que atravessa o Norte do País.
Joaquim Barreto referiu ainda, que agora é necessário executar as vias rodoviárias que derivam da A7, nomeadamente nos acessos às sedes do concelho, tais como, a variante às EENN 205 e 210, à variante do Tâmega do Arco de Baúlhe a Celorico que ligará à A4 em Amarante.
Estas novas vias de comunicação são fundamentais para estas zonas do território, cuja construção pemite a abertura de novos horizontes e oportunidades, capazes de atrair investimentos de modo a criar mais riqueza e mais emprego, que por sua vez, fixe as populações e combata a desertificação que se tem verificado nos últimos anos. Joaquim Barreto disse tudo fazer para responder aos desafios lançados procurando que estas estradas sejam mais que meros corredores de passagem e se tornem vias de acesso a espaços de atracção para quem nos visita e para quem aqui quer investir.
Por fim, o autarca agradeceu ao Goveno e à AENOR, a realização destes empreendimentos, que muito contribuirão para melhorar a qualidade de vida das populações que aqui vivem e trabalham e para um desenvolvimento mais harmonioso e sustentado do pais.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.