Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 28-02-2006

SECÇÃO: Região

X FESTA DA ORELHEIRA E DO FUMEIRO UM ÊXITO RENOVADO
A mostra do Saber e dos Sabores de Cabeceiras de Basto

“Uma iniciativa que tem vindo a crescer ao longo dos últimos dez anos e que se caracteriza por ser uma iniciativa que promove os sabores e os saberes desta terra e desta gentes de Basto”

O Secretário de Estado do Comércio, abriu a 10ª edição  da Festa da Orelheira e do Fumeiro
O Secretário de Estado do Comércio, abriu a 10ª edição da Festa da Orelheira e do Fumeiro

Realizou-se em Cabeceiras de Basto, de 24 a 27 de Fevereiro, a décima edição da Festa da Orelheira e do Fumeiro. Uma iniciativa que contou com a presença de 50 produtores/expositores e três associações locais.
Visitada por mais de vinte mil pessoas provenientes de vários pontos do país, esta iniciativa promovida pela Câmara Municipal e organizada pela Empresa Municipal Emunibasto, constituiu uma oportunidade para promover e divulgar os produtos locais, nomeadamente os produtos derivados do porco, com destaque para as orelheiras, os presuntos, os salpicões e restantes enchidos como as alheiras, as linguiças e uma grande variedade de chouriços, entre outros.
O tradicional leilão de orelheiras
O tradicional leilão de orelheiras
Ao promover este tipo de certames, a Autarquia visa, segundo informação divulgada, contribuir para a preservação dos produtos genuínos, potenciando a agricultura tradicional, que, ao comercializá-los possibilita a muitas famílias um complemento financeiro significativo.
Durante três dias, as expectativas iniciais confirmaram-se ao serem comercializados mais de 7000 kg de carne fumada o que representou um volume de facturação muito próximo dos 60 mil euros, adiantou fonte da organização.
No espaço da Festa da Orelheira e do Fumeiro a organização promoveu igualmente a gastronomia local com origem nos sabores do porco, mas também o vinho verde da região, os doces, o mel, o pão caseiro confeccionado com milho e centeio, do qual foram vendidos centenas de quilos, assim como o artesanato local, respectivamente, a tanoaria, a lã e o linho. A promoção gastronómica esteve ainda presente em muitos dos restaurantes do concelho que aderiram à iniciativa, incluindo nas suas ementas pratos confeccionados com base nestes produtos locais que dominam a mesa do Domingo Gordo.

Animação, gastronomia e produtos locais atrairam milhares de visitantes

O programa de animação integrou ainda a realização de várias iniciativas que prenderam a atenção dos visitantes. Logo no primeiro dia, e na presença do Secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor, Dr. Fernando Serrasqueiro, que na ocasião enalteceu a organização deste tipo de eventos como forma de promover o que de mais genuíno se produz no país, um grupo de mulheres produtoras, demonstrou ao vivo como se faz fumeiro. No Domingo realizou-se o leilão da orelheira numa recriação do tradicional leilão em honra de Sto António, outrora realizado no final da missa dominical em várias aldeias e freguesias do concelho.
Um concurso de máscaras fez parte do programa
Um concurso de máscaras fez parte do programa
A animação musical, da qual se destacaram os cantares ao desafio, tocadores de concertinas e acordeão, assim com, o folclore do Alto e Baixo Minho, esteve presente, proporcionando momentos de grande alegria e verdadeira festa.
No âmbito da quadra que atravessamos, a organização promoveu ainda neste programa festivo um concurso infanto-juvenil de máscaras de Carnaval, assim como uma demonstração de dança e de ballet que envolveu a participação de crianças e jovens e encheu de graça aquele recinto. As acções promovidas, associadas à gastronomia, aos produtos locais e até à neve que cobriu de branco as serras das redondezas, fizeram de Cabeceiras de Basto um destino de eleição no Domingo de Carnaval e atrairam ao Pavilhão Gimnodesportivo de Refojos, na sede da vila, uma verdadeira enchente de visitantes (cerca de 20 mil) que ali se deslocaram, para conhecer e apreciar os sabores e os saberes das gentes de Basto, num certame onde também estiveram presentes alguns produtores provenientes de Montalegre, Boticas, Chaves e Vieira do Minho.
A décima edição desta iniciativa, que contou com a colaboração da Mútua de Basto e da Cooperativa RuralBasto, terminou com os cestos vazios e a satisfação quer dos expositores, quer da organização, pelo volume de vendas registado e pela forma como decorreram todas as actividades programadas que contribuiram para o êxito alcançado com a realização desta Festa da Orelheira e do Fumeiro que, mais uma vez, projectou os produtos locais e as potencialidades do concelho de Cabeceiras de Basto.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.