Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 15-12-2005

SECÇÃO: Região

Monografia lançada em Cabeceiras
“Cavez das Terras de Basto” um contributo para o património cultural concelhio

“Cavez das Terras de Basto – O Tempo e o Modo – Lugares, Casas e Famílas” é o título da obra lançada no passado dia 3 de Dezembro, pelo Cabeceirense Dr. Duarte Nuno Vasconcelos, no Auditório Municipal Ilidio dos Santos.

O Presidente da Junta de Freguesia de Cavez cumprimenta o Dr. Nuno Vasconcelos após o lançamento da obra
O Presidente da Junta de Freguesia de Cavez cumprimenta o Dr. Nuno Vasconcelos após o lançamento da obra
Trata-se de um trabalho monográfico que tem na sua génese a motivação do estudo e da divulgação “ad perpetuam rei memoriam” de algumas das principais Casas e Famílias de Cavez, freguesia deste concelho de Cabeceiras de Basto.
Num Auditório repleto de amigos, familiares, autarcas e convidados, o autor disse que esta ideia rapidamente estravasou o objectivo inicial para se alargar à própria freguesia e à respectiva estruturação sócio-económica através dos tempos, desde longínquas eras pré-históricas à actualidade, cruzando etnias, línguas, religiões, costumes e culturas, reflexos de invasões, migrações e guerras.
Ao longo do livro, os factos aparecem envoltos pelo empenho e envolvimento pessoal do autor, divulgando desta forma o registo genealógico de algumas famílias daquela vila. Cavez das Terras de Basto, é, por isso, um livro cuja elegância e riqueza estilística fazem da sua leitura um prazer seja qual for a página ou o capítulo em que se abra. Trata-se por isso de uma obra cuja edição ajudará certamente a melhor conhecer e a entender a história local concelhia, traduzindo-se assim, num contributo para a riqueza do património cultural desta terra, desvendando os laços e as relações familiares e sociais estabelecidos ao longo dos anos, o que ajuda os leitores a conhecer melhor as raízes e as gentes de Basto.
Na cerimónia de apresentação do livro esteve presente o Presidente da Associação Portuguesa de Genealogia, Dr. Manuel Arnao Metello a quem coube fazer a apresentação da obra que, na ocasião, considerou tratar-se de um documento essencialmente monográfico que “ultrapassa quanto nesta área da cultura nos tem sido dado apreciar”, o Vereador da Cultura e Vice-Presidente da Câmara Municipal, Dr. Jorge Machado, que, na sua intervenção, classificou o autor como um “garimpeiro da história” que partiu à descoberta dos caminhos sócio-culturais de outrora, desvendando coisas e conhecimentos que as pessoas por vezes não avaliam da sua importância e do interesse que isso tem para os outros, dando desta forma mais um passo para o conhecimento da identidade desta terra e desta gente.
O Auditório Municipal encheu-se de amigos, familiares e autarcas para assistir ao lançamento de tão importante obra para o concelho
O Auditório Municipal encheu-se de amigos, familiares e autarcas para assistir ao lançamento de tão importante obra para o concelho

Um contributo para o património cultural concelhio

Por sua vez, o Presidente da Câmara Municipal, Engº Joaquim Barreto, congratulou-se com a iniciativa deste cabeceirense, o qual já desempenhou funções importantes nos quadros da Administração Pública, de que se destaca o cargo de Director Geral do STAPE, que acaba de concluir um trabalho que certamente contribuirá para melhor se conhecer os nossos antepassados, divulgando-os junto das novas gerações. O rigor e a entrega que dedicou ao estudo efectuado, faz desta obra, um trabalho de referência no património cultural deste concelho, sublinhou ainda o autarca.
A Câmara Municipal acolheu com agrado a publicação deste trabalho, tal como vem sucedendo com outros já editados por estudiosos cabeceirenses, tendo como principal objectivo dar a conhecer melhor esta terra e esta gente, e, simultaneamente, estimulando outros trabalhos a fazer pelos escritores cabeceirenses.
Recorde-se que, segundo informação divulgada, além de apoiar este tipo de iniciativas a Câmara Municipal tem vindo, ao longo dos últimos anos, a adquirir, recuperar e valorizar edifícios de valor patrimonial, conferindo-lhes novas funcionalidades e colocando-os ao serviço dos municípes. Conhecer e valorizar o património edificado, cultural e social destas gentes tem sido uma das apostas da autarquia, que procura cada vez mais dotar o Município das condições que melhor sirvam o desenvolvimento harmonioso e sustentado, por forma a elevar o nível e os padrões de vida das populações que vivem e trabalham em Cabeceiras de Basto.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.