Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 15-10-2005

SECÇÃO: Última Página

Biblioteca Municipal no Arco de Baúlhe abriu ao público

A Câmara de Cabeceiras de Basto procedeu no passado dia 5 de Outubro, à inauguração da Biblioteca Municipal. Trata-se de um novo equipamento cultural localizado em Arco de Baúlhe, em terrenos contíguos à Escola EB 2-3 daquela vila, que representa um investimento global de um milhão de euros e onde está incluída uma comparticipação do Instituto Português do Livro e das Bibliotecas.

foto
Esta estrutura é uma pretensão antiga do Município de Cabeceiras de Basto pela qual o executivo do Engº Joaquim Barreto se bateu com empenho ao longo do últimos anos e cuja construção permite desenvolver e aumentar as capacidades e competências da população, só possíveis através de uma maior participação e envolvimento das pessoas em todos os actos de cultura, designadamente na investigação e na leitura. Recorde-se que este equipamento que tem duas salas de leitura destinadas, uma a adultos e outra a crianças, sala polivalente, sala de reuniões, gabinetes de trabalho, instalações, garagem e outros cómodos para arrumos, comporta 1100 volumes destinados a empréstimos, 3000 livros para consulta e 1700 documentos disponíveis na área reservada aos recursos audiovisuais.

Um novo espaço cultural ao dispôr dos cabeceirenses
foto

À cerimónia de inauguração deste novo equipamento, a que presidiu o Presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Engº Joaquim Barreto, associou-se também o Presidente da Junta de Freguesia da vila arcoense, Armando Duro, o Presidente da Assembleia Municipal, Valdemar Gomes, demais autarcas, convidados e população em geral.
Presente esteve também o grupo de idosos do Espaço de Convívio e Lazer de Arco de Baúlhe, que “abrilhantou” a festa com o cântico de várias melodias populares.
Após o descerramento da placa inaugural, a comitiva visitou as instalações do novo equipamento cultural, seguindo-se a intervenção dos Presidentes da Junta de Freguesia e da Câmara Municipal, respectivamente, Armando Duro e Joaquim Barreto.
No uso da palavra o Presidente da Junta de Freguesia, Armando Duro, disse tratar-se de um dia muito especial e de grande importância para aquela vila e para a cultura, a valorização e a qualificação das pessoas, não só do Arco de Baúlhe, mas também das freguesias vizinhas.
Por outro lado, a localização deste equipamento naquela vila arcoense realça as condições geoestratégicas invejáveis de uma terra voltada para o progresso económico e social. No entanto, tal só foi possível - segundo o autarca – graças ao diálogo estabelecido nos útlimos anos com a Câmara Municipal, que sabe respeitar a junta de freguesia e reconhecer a importância desta vila num contexto alargado de desenvolvimento sustentado e integrado do concelho.
foto
Armando Duro lembrou que, a construção da Biblioteca, brevemente a conclusão da Piscina e da habitação social, futuramente a construção do parque industrial e a aprovação do Plano de Urbanização com a abertura a novos espaços, sem esquecer as obras feitas nos últimos doze anos como as Pontes da Barca, a Escola EB 2-3 de Arco de Baúlhe, o Pavilhão Gimnodesportivo, a Central de Camionagem, o Museu das Terras de Basto, o Centro de Emprego que faz do Arco um pólo central dos concelhos de Celorico, Mondim e Ribeira de Pena, a revitalização da Rua do Arco e do largo da Serra e ainda o Nó da Auto-estrada que projecta e garante um largo futuro, fazem do Arco de Baúlhe uma vila com condições para se desenvolver e modernizar.
O autarca reconheceu também, que esta obra resulta do trabalho do actual Presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, que mudou o concelho e consequentemente o Arco de Baúlhe, criando melhores condições de vida às populações.
A Biblioteca é, segundo Armando Duro, mais um equipamento e um serviço, que representa uma mais valia de valor incalculável para dar ao Arco de Baúlhe mais movimento, ampliar a actractividade e impulsionar a cultura e o saber das suas gentes.

Um novo ciclo de desenvolvimento

Por sua vez, o Engº Joaquim Barreto, realçou a importância deste equipamento que certamente contribuirá para a formação e qualificação das gentes de Basto. Lembrou também que a obra que tem vindo a realizar-se não só no Arco de Baúlhe, mas também em todo o concelho é reveladora do trabalho e do empenho dos autarcas que lideram os destinos de Cabeceiras de Basto, em prol de um concelho cada vez mais moderno e em franco progresso.
O Engº Joaquim Barreto, afirmou também que o concelho tem condições para entrar num novo ciclo de desenvolvimento. No entanto, é preciso a colaboração de todos os cabeceirenses no sentido de valorizarem a sua terra, terem auto-estima e desta forma, contribuirem para o desenvolvimento social, económico e cultural de Cabeceiras de Basto. No Arco de Baúlhe, o Presidente da Câmara deixou um apelo, que todos saibam preservar e valorizar este equipamento agora colocado à disposição não só da comunidade educativa, mas também de toda a população.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.