Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 28-10-2013

SECÇÃO: Recordar é viver

Manuel Carneiro, António Teixeira de Carvalho e Domingos Gonçalves

foto
“Os homens do Presidente”. Há vinte anos começou assim…

Caros leitores, hoje dia 24 de outubro, estou frente ao meu computador para escrever o meu artigo habitual. É coisa que já faço há muitos anos, precisamente desde 2003.
Neste dia, que se aproxima do fim de semana vem-me ao pensamento, que se está a chegar o primeiro aniversario do desaparecimento do meu marido, o saudoso professor Manuel Carneiro. É no dia 27 de Outubro do corrente ano. Mas, antes de falar do Manuel Carneiro vou voltar vinte anos no tempo e recordar o seguinte:
Foi quase (faltam dois meses) há vinte anos que, em Cabeceiras de Basto, se deu o que poderíamos considerar um 25 de Abril. Cabeceiras de Basto “abriu para o mundo” nas eleições autárquicas de 1993, com o Partido Socialista, liderado pelo Engº Joaquim Barroso de Almeida Barreto. Este Homem tinha um sonho para esta terra e, ele concretizou-se!
Manuel Carneiro, na tomada de posse como deputado municipal no dia 5 de Janeiro de 1994, quando o PS assumiu o poder local. Fez neste mês corrente um ano (dia 27),  que nos deixou.
Manuel Carneiro, na tomada de posse como deputado municipal no dia 5 de Janeiro de 1994, quando o PS assumiu o poder local. Fez neste mês corrente um ano (dia 27), que nos deixou.
Rodeado de uma boa equipa, tomou posse no dia 5 de Janeiro de 1994. Lembro-me como se fosse hoje. Desde o primeiro dia da sua vida de Edil Cabeceirense em que encarou de frente, todos os problemas, todas as responsabilidades e as carências a todos os níveis no nosso concelho, deitou mãos à obra, dando o exemplo e exigindo igual esforço por parte da sua equipa e a todos os funcionários camarários, doesse a quem doesse.
Desde o momento em que ele se “atreveu” a romper uma avenida na Quinta do Mosteiro, tudo se modificou. Devo aqui dizer em abono da verdade que aquele ditado que diz “que os homens não se medem aos palmos” ficou demonstrado durante toda a governação do Presidente da Câmara de Cabeceiras, com cinco mandatos e todos com a maioria, se aplicava na íntegra este ditado.
Certamente estarão vocês, caros leitores, a pensar o que é que estes considerandos têm a ver com o título do meu artigo. Mas digo-vos que tem!
O Dr. Domingos Gonçalves, natural de Agua Redonda, desta freguesia de Refojos, militante activo do Partido Socialista, o Dr. António Francisco Teixeira de Carvalho, do Arco de Baúlhe, também militante, creio se me não falha a memória dos primeiros inscritos no PS, funcionário da Segurança Social ou antiga Casa do Povo e, professor Manuel José do Carmo Carneiro, professor efectivo do primeiro ciclo e professor da Telescola, cerca de trinta anos no Arco de Baúlhe, independente, porque nunca foi filiado em nenhum, acreditaram estes Homens no projecto que o Engº Joaquim Barreto tinha para governar Cabeceiras de Basto. Tanto acreditaram que a ele aderiram e fizeram parte activa. Fizerem eles e outros o melhor que puderam e sempre em harmonia. Hoje só me estou a referir aos três pelo motivo sobejamente conhecido por todos vós, infelizmente. É que estes três cabeceirenses a que eu referencio como “os homens do Presidente” já não estão cá para ver os resultados da suas “lutas”, pelo menos os Dr. Domingos Gonçalves e o Dr. Carvalho que já não são deste mundo há alguns anos. O Manuel Carneiro ainda viu muitas das coisas belas que se fizeram neste concelho embora, as obras belíssimas, inauguradas há muito pouco tempo, que são: a “Casa do Tempo” e o “Parque Urbano” . Viu o início dos trabalhos da obra mas já não viu a sua conclusão.
Em poucos anos, o Engº Joaquim Barreto que foi nosso Presidente da Câmara, até ao dia 29 de setembro do mês passado, viu “partir” três amigos e colaboradores sinceros, daqueles que diziam as coisas olhos nos olhos, com abertura e sinceridade. Sem desprimor de toda a equipa que fazia parte dos eleitos do PS, estes homens eram abnegados, justos e lutavam por uma causa comum para o crescimento do concelho e o bem estar da sua população. Assim o fizeram até que a vida levou os dois primeiros, o Manuel Carneiro ainda esteve mais algum tempo por cá. Eu, tive o privilégio de “ter acompanhado” politicamente a vida destes quatro cabeceirenses, uma vez que também fazia parte da equipa. Uns naturalmente na política, e ao meu marido foram quarenta e quatro anos de vida em comum com os nossos três filhos e cinco netos.
Neste momento não faça parte da vida activa em cargos políticos, fiz dois mandatos como membro na Assembleia Municipal, mas ainda faço parte da Comissão Política na secção de Cabeceiras, porque assim o quis e não porque tivesse de ser. Acho que se deve renovar e, já foram muitos anos mas não me despeço totalmente. Estou aqui para colaborar voluntariamente se for preciso. Este concelho está muito bem entregue ao novo Presidente da Câmara Municipal, Dr. Serafim China Pereira e ao novo Presidente da Assembleia Municipal o Engº Joaquim Barreto. Como se pode ver a continuação da obra iniciada há vinte anos vai ter continuidade para bem dos cabeceirenses. Desejo as maiores felicidades a estes dois Senhores e à sua grande equipa.
Esta semana que está a correr para o fim, que está com muita chuva, tempo escuro e deprimente, faz acentuar esta nostalgia que me aperta o coração e faz-me vir ao pensamento as imagens daqueles que partiram, famílias, amigos e vizinhos mas a saudade que mais me aperta o coração é a falta do meu Manuel Carneiro. Deus os tenha a todos em bom lugar.
Bem hajam pelo que foram e fizeram por Cabeceiras de Basto!

* Colaboradora














Por: Fernanda Carneiro

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.