Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 04-03-2013

SECÇÃO: Informação

Ciclo de Evocação Internacional de Joaquim Santos promoveu segunda conferência

O Presidente da Câmara enalteceu vida de Joaquim Santos
O Presidente da Câmara enalteceu vida de Joaquim Santos
O Auditório da Escola Básica e Secundária de Cabeceiras de Basto acolheu, no dia 27 de fevereiro, a segunda conferência inserida no Ciclo de Evocação Internacional do cabeceirense Joaquim Gonçalves dos Santos (1936-2008).
Organizada pelos subdepartamentos de Educação Musical e História do Agrupamento de Escolas de Cabeceiras de Basto, em colaboração com a Câmara Municipal, empresa municipal Emunibasto, Paróquia de Refojos e Rádio Voz de Basto, a iniciativa desenvolveu-se em torno do tema ‘Retórica e Escrita Coral: o Ciclo das V Canções do Mar de Joaquim Santos sobre textos de Miguel Torga’.
Para além do presidente da Câmara Municipal, Engº Joaquim Barreto, e do orador convidado, Prof. Dr. José Carlos Miranda da Faculdade de Ciências Sociais da Universidade Católica Portuguesa, marcaram presença nesta sessão a diretora do Agrupamento de Escolas, Dra. Céu Caridade, os párocos de Refojos de Basto e Bucos/Cabeceiras de Basto (S. Nicolau), professores, membros da Assembleia Municipal e público em geral.
Refira-se que este ciclo de conferências tem como objetivos evocar a vida e obra do cabeceirense Padre Dr. Joaquim Santos, enaltecer a importância internacional da sua obra musical e posicionar Cabeceiras de Basto na vida cultural do país e desenvolver o espírito de trabalho de equipa nos alunos envolvidos.
Coube à diretora do Agrupamento, Dra. Céu Caridade, dar as boas vindas ao orador e a todos os presentes, felicitando os organizadores pela homenagem que este evento presta ao cabeceirense Joaquim Santos.
Durante a sua intervenção, o orador convidado José Carlos Miranda fez uma audição guiada das canções do mar de Joaquim Santos sobre textos de Miguel Torga, enaltecendo a sua “mestria na composição coral” e o legado de extremo valor que exalta a cultura nacional.
Questionando a plateia sobre o que seria da cultura sem as autarquias locais, o presidente da Câmara Municipal afirmou que “é nos meios pequenos que se dá mais valor aos valores” de que esta conferência foi um exemplo.
Desejando que a iniciativa “desperte um cada vez maior interesse para a música”, Joaquim Barreto destacou o papel que a Banda Cabeceirense tem tido na formação musical dos jovens, de onde têm saído grandes músicos e onde a obra do Padre Joaquim Santos tem sido lembrada, valorizada e destacada.
Ultimamente “temos assistido ao crescente desenvolvimento de estudos sobre o músico e compositor Padre Dr. Joaquim Santos, o que vem contribuir para um conhecimento mais aprofundado sobre a vida e obra deste ilustre cabeceirense”, referiu a autarquia em comunicado à imprensa.
De referir que a próxima conferência integrada neste Ciclo de Evocação Internacional está agendada para o dia 3 de abril.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.