Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 12-11-2012

SECÇÃO: Política

PS de Cabeceiras promoveu debate

Dezenas de Cabeceirenses assitiram ao debate
Dezenas de Cabeceirenses assitiram ao debate
Orçamento de Estado para 2013 “Portugal caminha para o abismo"?

O Partido Socialista de Cabeceiras de Basto promoveu, no passado dia 9 de novembro, uma conferência subordinada ao tema ‘O Impacto Económico e Social do Orçamento de Estado para 2013’, que teve como orador convidado José António Vieira de Silva.
A sessão, que teve lotação esgotada no edifício do Mercado Municipal de Cabeceiras de Basto, juntou militantes e simpatizantes do PS que “não perderam a oportunidade para dar a sua opinião e para esclarecer as suas dúvidas”, refere o comunicado enviado à imprensa pelo PS de Cabeceiras de Basto.
De acordo com o mesmo documento, coube ao presidente da Comissão Política Concelhia, Joaquim Barreto, apresentar o orador – “um homem competente, humilde, de carácter, valores e princípios que deixou, enquanto ministro do Trabalho e da Solidariedade Social, importantes marcas de governação no nosso país”.
Na oportunidade, Joaquim Barreto, mostrou a sua indignação contra a extinção/agregação das freguesias que, no concelho de Cabeceiras de Basto prevê uma diminuição de 17 para 12. E garantiu: “não nos vamos conformar. Vamos lutar, por todos os meios ao nosso alcance, contra esta Reforma Administrativa”, disse, referindo-se ao “combate político e jurídico que unem autarcas de todos os partidos na defesa pela manutenção das freguesias”, acrescenta o mesmo comunicado.
Na sua intervenção, José Vieira da Silva, “sensível também ao tema da Reforma Administrativa, fundamentou as razões que levaram o PS a votar contra o Orçamento de Estado para o próximo ano de 2013, enumerando as consequências desse Orçamento que conduz o país a uma situação extremamente grave”.
Vieira da Silva foi o orador convidado
Vieira da Silva foi o orador convidado
“Há que mudar de política e a voz do PS é uma pedra angular para essa mudança”, acentuou Vieira da Silva, tecendo duras críticas ao ministro das Finanças, Vítor Gaspar.
“O ministro das Finanças tem falhado todas as previsões e todas as metas mas, mesmo assim, mantém a mesma estratégia”, lamentou Vieira da Silva, acusando o ministro de “contribuir para que a economia se afunde” a cada dia que passa. E observou: “tudo aponta para que em 2013 a situação se repita com mais dificuldades” para os portugueses. “A situação é justificada pelo atual cenário marcado pela espiral recessiva da economia e pelo falhanço orçamental em 2012” que leva a um desacreditar das previsões do Governo para 2013", refere o mesmo comunicado endereçado à comunicação social.
Fazendo uma retrospetiva dos últimos meses, Vieira da Silva colocou no centro das atenções “os ‘zigue-zagues’ do Governo em matéria da Taxa Social Única (TSU), do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI), do Complemento Solidário para Idosos (CSI), entre outros, para justificar o “abismo” em que PSD/CDS-PP está a colocar o país”. E constatou: “o Governo está a tirar aos portugueses aquilo que conquistaram ao longo de tantas décadas”.
Segundo as palavras de Vieira da Silva, “Portugal precisa de ultrapassar esta crise com coragem. Este caminho que o Governo assumiu não está a atingir os objetivos e corre o risco de não chegar a lugar nenhum”. E rematou: “não é razoável provocarmos tanta dor à economia sem resultados orçamentais. Portugal caminha para o abismo”.
À sessão sobre ‘O Impacto Económico e Social do Orçamento de Estado para 2013’ associou-se, também, a deputada socialista Sónia Fertuzinhos, membro da Comissão Parlamentar de Orçamento, Finanças e Administração Pública.
Segundo o comunicado, a deputada “partilhou com a plateia quatro desafios e responsabilidades: denunciar o discurso da inevitabilidade; defender o papel da política, dos partidos políticos e dos políticos; perceber que o Governo tem uma estratégia de sobrevivência; liderar a defesa da democracia, das pessoas e do país”. E terminou: “este caminho (que está a ser seguido pelo Governo) está, sem dúvida, errado”.
No decorrer do debate registaram-se, ainda, várias intervenções dos militantes e simpatizantes presentes “a manifestar o seu descontentamento e reprovação pelas medidas que têm vindo a ser impostas pelo Governo e que estão a semear a pobreza, a destruir a classe média e a enriquecer um pequeno grupo de correligionários da maioria governamental PPD-PSD/CDS-PP”.
Último a discursar nesta sessão, o presidente da Assembleia-geral de Militantes do Partido Socialista de Cabeceiras de Basto, Serafim China Pereira, “cumprimentou e elogiou a Comissão Política pela organização desta conferência”, vincando a sua posição e confirmando que “hoje estamos bem piores do que há um ano atrás”.
Congratulando-se com “a exposição esclarecedora que Vieira da Silva fez sobre o tema em debate”, China Pereira destacou que “com a implementação deste Orçamento de Estado para 2013 a vida dos portugueses vai ser muito difícil e substancialmente agravada”.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.