Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 07-05-2012

SECÇÃO: Informação

Centro de Teatro apresentou Olhar Fraterno - Tributo a Zeca Afonso

Olhar Fraterno – tributo a Zeca Afonso, encerrou no dia 28 de abril, o programa comemorativo do 25 de Abril, promovido pela Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto e pela empresa Emunibasto, com o apoio da ADIB- Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto, dos Bombeiros Voluntários Cabeceirenses e da Banda Cabeceirense. Um programa diversificado e inter-geracional, que de 21 a 28 de abril, em diferentes ‘palcos’ do território, envolveu os cabeceirenses e enalteceu os valores da revolução dos cravos ocorrida em 1974.
A apresentação da peça Olhar Fraterno, magnífico espetáculo levado à cena pelo Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, atraiu ao edifício do Centro Hípico, em Vinha de Mouros, Refojos de Basto, centenas de pessoas que ali se deslocaram para assistir ao trabalho de mais de cinquenta atores e atrizes que nos últimos meses deram corpo a este tributo a Zeca Afonso.
Tratou-se de uma peça de autoria de Armando Luís e Roberto Moreira, que nos remete para “um período muito importante da nossa história, mais concretamente na época de 1933 a 1974 em que Portugal viveu em ditadura, a ditadura Salazarista”. O espetáculo pretendeu assim, “dar a conhecer a vida, os amores, os desamores, a luta, o labirinto de emoções e sensações que o enorme Zeca Afonso viveu” no ano em que passam 25 anos após a sua morte. A peça é por isso, ‘revolta, é medo, é conflito e é, por fim, um renascer e um mudar de pensamento’.

Centro de Teatro apresentou espectáculo magnífico
Centro de Teatro apresentou espectáculo magnífico
De referir que o “Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto é uma marca cultural que aposta no desenvolvimento de um projeto de produção artística vocacionado para as artes de intervenção sóciocutural”. Aqui trabalham-se “as memórias, as tradições e o património material e imaterial enquanto fontes de pesquisa e ferramentas para a preservação e revitalização da identidade da região de Basto”. Uma aposta na “formação artística em contexto de aprendizagem não formal nas áreas da interpretação, expressão plástica e iniciação teatral para as crianças”, que o edil Cabeceirense, Engº Joaquim Barreto, disse na oportunidade, ser para continuar, já que este projeto envolve os cabeceirenses e proporciona-lhes espaços de formação e cultura que contribuem para a ocupação salutar dos tempos livres dos ‘alunos’ e para gáudio dos pais, autarcas e população em geral, que assim participam e assistem a momentos culturais diferenciadores, de grande qualidade e beleza.
A assistir à peça esteve também, o Presidente da Assembleia Municipal, Dr. Serafim China Pereira, o Presidente da Junta de Freguesia de Refojos, Francisco Alves, os vereadores Dr. Domingos Machado e Francisco Pereira, deputados municipais, as administradoras da Emunibasto, Profª Stela Monteiro e Drª Fátima OIiveira e a diretora da Basto Vida, Drª Catarina Ramos.
De referir por fim, que o texto e a encenação da peça foi de Armando Luís e Roberto Moreira, a cenografia, figurinos e adereços esteve a cargo de Joana Veloso assim como a direção técnica. O desenho de luz e som, foi responsabilidade de Miguel Marques e a direção de produção e comunicação foi de Alexandre Reis.
Do elenco fizeram parte: Alícia Andrade, Armando Luís, Catarina Madanços, Catarina Ribeiro, Daniela Gonçalves, Francisca Magalhães, Gil Fernandes, Hugo Magalhães, Inês Rolo, Laura Carvalho, Leonor Basto, Manuela Teixeira, Margarida Ribeiro, Patrícia Teixeira, Paulo Gonçalves, Roberto Moreira, Sara Gomes, Susana Magalhães, Tânia Leite, Tiago Teixeira, Valdir Teixeira e Vera Pacheco.
A peça contou ainda com uma participação especial do Grupo Coral da Paróquia de Cavez e de Alexandre Teixeira da Universidade Sénior de Cabeceiras de Basto. A colaborar nesta iniciativa estiveram, Ana Francisca, Ana Margarida Gonçalves, Francisca Ferraz, Laura Neiva, Lúcia Pereira, Lúcia Santos, Maria Adelaide, Maria Rodrigues, Manuel Craveiro, Fernanda Magalhaes e Senhorinha Freitas.
Esta podução teve também o apoio da CABASTO, Cândida Marques, Franklim Vieira, João Veloso, José Teixeira (Davitex – estamparia, s.a.), O BOTA – serralharia, Paulo Loureiro, Rancho Foclórico ‘Os Camponeses de Arosa’ e Rancho Folclórico de S. João Baptista de Cavez.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.