Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 07-05-2012

SECÇÃO: Informação

Casa Municipal da Cultura apresenta Exposição alusiva aos 50 anos do início da Guerra Colonial

O Presidente da Câmara enalteceu a iniciativa que homenageia todos os portugueses que partiram, familiares e os que regressaram desta guerra colonial
O Presidente da Câmara enalteceu a iniciativa que homenageia todos os portugueses que partiram, familiares e os que regressaram desta guerra colonial
A inauguração da exposição ‘Comemoração dos 50 anos do Início da Guerra Colonial’, assinalou o início do programa festivo do 25 de Abril, em Cabeceiras de Basto, que decorreu de 21 a 28 de abril último.
Uma iniciativa na qual marcaram presença o presidente da Câmara Municipal, Engº Joaquim Barreto, os vereadores, Dr. Domingos Machado e Francisco Pereira, o presidente da Associação Portuguesa dos Veteranos de Guerra, Dr. Augusto Freitas, as administradoras da empresa municipal Emunibasto, Prof. Stela Monteiro e Drª Fátima Oliveira, demais autarcas, convidados e populares que se deslocaram à Casa da Cultura, associando-se assim, ao arranque das Comemorações do 25 de Abril.
Bailarinas de 'palmo e meio' abrilhantaram a abertura da exposição
Bailarinas de 'palmo e meio' abrilhantaram a abertura da exposição
Esta exposição, que estará patente ao público até ao próximo dia 16 de junho, integra um valioso espólio composto por filmes/documentários, bem como quadros fotográficos alusivos à guerra ultramarina. Além dos objetos de museu, como são aerogramas, rações de combate e outros materiais de cariz histórico, encontram-se alguns livros sobre esta matéria e uma listagem de todos os que perderam a vida ao serviço da Pátria. A mostra reporta-se assim ao período da Guerra que Portugal travou em África (Angola, Guiné e Moçambique) entre 1961 e 1974 e que contribuiu de forma decisiva para a eclosão da Revolução do 25 de Abril. Representa por isso um dos períodos mais marcantes da nossa história, referente à segunda metade do século XX.
Autarcas apreciaram espólio patente ao público nesta exposição
Autarcas apreciaram espólio patente ao público nesta exposição
No oportunidade, o edil cabeceirense, saudou os presentes que se associaram à abertura desta exposição que é sobretudo uma “homenagem a todos os Portugueses que partiram, às suas famílias e a todos os que regressaram” de uma Guerra que mobilizou milhares de jovens na década de sessente e cujo sentimento de frustação e revolta sentido, conduziu às revoltas que estão na génese da Revolução do 25 de Abril. Esta é por isso, uma exposição oportuna e pertinente que liga a Guerra Colonial ao 25 de Abril e revela um período da nossa história que não deve ser esquecido, pois perpassa gerações e marca a nossa memória coletiva. O autarca felicitou ainda a Associação Portuguesa dos Veteranos de Guerra, pelo apoio prestado aos ex-combatentes, mas também por guardar este espólio que recorda um período difícil, mas que faz parte da nossa história.
A abertura desta exposição foi ainda abrilhantada por momentos de dança e música alusivas ao 25 de Abril, proporcionando ‘quadros’ de grande beleza e emoção, proporcionados pela Escola Bailado de Fafe e pelas danças de salão do Populum Escola de Dança que surpreenderam o público presente.
Coreografias embelezaram Casa da Cultura
Coreografias embelezaram Casa da Cultura



© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.