Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 28-11-2011

SECÇÃO: Informação

Joaquim Barreto defendeu Regionalização na UMinho

A convite do Centro de Estudos de Administração Pública da Universidade do Minho (UMinho), o presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Eng.º Joaquim Barreto, participou no dia 17 de Novembro no XVI Colóquio de Administração Pública, subjugado ao tema ‘Um Orçamento com a Troika – Qual a Reforma para a Administração Pública?’

Joaquim Barreto foi um dos oradores convidados do Colóquio de AP, na Universidade do Minho
Joaquim Barreto foi um dos oradores convidados do Colóquio de AP, na Universidade do Minho
No decorrer do painel dedicado à ‘Reforma da Administração Local’, Joaquim Barreto defendeu a regionalização, apontando o dedo aos Governos “que, desde o 25 de Abril de 1974, têm ignorado o texto da Constituição da República”, que prevê a regionalização.
O autarca de Cabeceiras de Basto, que considera que “descentralizar não é o mesmo que regionalizar”, não concorda com um modelo de atribuição de mais poderes às CCDR e às Comunidades Intermunicipais, por considerar que “estas não são eleitas directamente pelo povo e, por isso, não são suas legítimas representantes”.
Revelando abertura para “negociar e debater”, Joaquim Barreto revelou reservas quanto às fusões de freguesias propostas no Documento Verde da Reforma do Poder Local.
“Os autarcas são conhecedores porque estão próximos”, realçou, reclamando para as autarquias “2,5 mil milhões de euros dos 78 mil milhões emprestados pela Troika” a Portugal, como forma de incentivar a economia local.
Joaquim Barreto foi um dos oradores convidados da 16.º edição do Colóquio de Administração Pública, que decorru na Universidade do Minho, em Braga.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.