Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 08-09-2011

SECÇÃO: Informação

Flautista Adriana Ferreira encantou plateia nos Encontros de Música de Guimarães

A flautista cabeceirense Adriana Ferreira foi um dos nomes sonantes dos Encontros de Música de Guimarães. A jovem, vencedora do Concurso Internacional Carl Nielsen, encantou a plateia do Centro Cultural Vila Flor, no passado dia 2 de Setembro.
Com apenas 20 anos, Adriana Ferreira, natural de Refojos, interpretou ‘Danse des Sylphes’, o seu primeiro trabalho discográfico. Acompanhada por Isolda Crespi ao piano, a jovem flautista emocionou e arrebatou o público presente.

foto
Bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian, Adriana Ferreira foi recentemente agraciada pela Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, com um Voto de Louvor, Congratulação e Regozijo pelo êxito alcançado ao conquistar o primeiro prémio em muitas provas de prestígio internacional, com destaque para o 4º Concurso Internacional Carl Nielsen (Dinamarca), considerada a mais importante competição mundial de flauta transversal.
São galardões que contribuem para a promoção e valorização da música, ao mesmo tempo que reforça o prestígio e a imagem de Cabeceiras de Basto além fronteiras, elevando deste modo o nome de Portugal na esfera da música internacional.
A jovem que frequentou a Escola Superior de Música Hanns Eisler de Berlim, na Alemanha, e que concluiu a licenciatura em Musicologia na Universidade de Paris-Sorbonne, em França, conta já com diversos prémios internacionais. A partir deste mês de Setembro vai ingressar no Conservatório Nacional de Paris para frequentar o mestrado.
A apresentação do CD nos Encontros de Música de Guimarães contou com interpretações da Adriana Ferreira com a pianista Isolda Crespi, de obras de Mélanie Bonis, Joaquim dos Santos, Joachim Andersen, Henri Dutilleux e Sergei Prokofiev e, ainda, a solo a obra “The Panic Flirt” de Alexandre Delgado.

Na oportunidade ouvimos a ilustre pianista:
Ecos de Basto - Como viu e sentiu o espectáculo da passada sexta-feira?
Adriana Ferreira - Contar com o convite do Professor António Saiote, a colaboração do compositor Alexandre Delgado, a participação da pianista Isolda Crespi, bem como com a presença de todo aquele público, tornou este concerto de lançamento do meu primeiro CD num momento memorável.
E.B. - Como explica que grande parte do público presente fosse jovem, aliás à semelhança do que tem acontecido noutras ocasiões?
A. F. – O público interessado em música clássica não se cinge a melómanos de uma elite culta e restrita. Pelo contrário, grande parte do público corresponde a jovens músicos em formação, jovens professores e músicos profissionais. Com isto quero dizer que são muitos os jovens interessados em estudar, ouvir e promover a música clássica, ao contrário do que se possa pensar.
E. B. - Relativamente ao CD, pergunto se a sua gravação, bem como agora o acolhimento do público correspondeu às suas expectativas?
A. F. – As condições proporcionadas na Editora Numérica, bem como a colaboração de várias personalidades na concepção global do disco foram factores decisivos, que fizeram com que este registo discográfico correspondesse da melhor forma às minhas expectativas bem como às do público em geral.
E.B. - Quais os desafios que se colocam pela frente num futuro próximo? Depois de ter concluído o ano lectivo Erasmus, em Berlim, e a licenciatura em Paris, o que se segue em termos de estudo?
A. F. – Concluí presentemente a Licenciatura em flauta transversal no Conservatório Nacional Superior de Música de Paris, após ter concluído a Licenciatura em Musicologia na Universidade Paris-Sobornne, contando com dois semestres de estudo na Escola Superior Hanns Eisler, em Berlim, ao abrigo do Programa Erasmus. A partir deste ano lectivo, vou frequentar o Mestrado em flauta no Conservatório Nacional Superior de Música de Paris.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.