Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 15-08-2011

SECÇÃO: Opinião

O PASTOR

foto
Vai para o monte o pastor
O rebanho apascentar
Anda por lá todo o dia
Para à noitinha voltar

De manhã muito cedinho
Faça chuva ou faça vento
Toca o redil prá serra
Donde lhe vem o sustento

Leva o farnel da fome
Que não sabe bem nem mal
Dois pepinos três tomates
Quatro areias de sal

Um cantil cheio de água
Colhido em qualquer fonte
Mesmo mole sabe bem
Seja na serra ou no monte

Dias há em que é preciso
Sete olhos a vigiar
Há nevoeiro na serra
E o lobo pode atacar

No verão vai tudo bem
O pior é no inverno
Quando a vida do pastor
Se transforma num inferno

A croça é feita de colmo
Quando molhada é pesada
À noite é seca à lareira
No dia seguinte usada

Nos pés as chancas de pau
Feitas pelos tamanqueiros
É calçado de pastor
Para trilhar os carreiros

Se a tempestade fustiga
Lá no mais alto moledo
Debaixo da sua croça
O pastor treme de medo

Ser pastor é ser da grei
É ter nobre profissão
Ao cuidar do seu rebanho
Com amor e com paixão

Por: Alexandre Teixeira

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.