Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 25-07-2011

SECÇÃO: Política

António José Seguro é o novo Secretário-Geral do Partido Socialista

António José Seguro foi eleito Secretário-geral do Partido Socialista (PS) nas eleições directas realizadas nesta sexta-feira e sábado, dia 22 e 23 de Julho, com uma larga vantagem sobre o outro candidato, Francisco Assis.

António José Seguro é o novo Secretário-geral do PS
António José Seguro é o novo Secretário-geral do PS
Segundo a informação obtida junto da Comissão Organizadora do Congresso do Partido Socialista, que se realizará entre 9 e 11 de Setembro próximo, António José Seguro teve 23.093 votos (67,98%) e Francisco Assis obteve 11.257 votos (32.02%).
Uma vitória esmagadora que foi ainda mais expressiva na eleição aos delegados ao Congresso. Efectivamente, as listas subscritas por António José Seguro conseguiram uma vantagem ainda maior do que a eleição do Secretário-geral, já que venceram por larga margem em todas as federações do país. Num total de 1.857 delegados, as listas de António José Seguro elegeram 1.346 contra 511 delegados de Francisco Assis. Em Cabeceiras de Basto, 195 militantes votaram Seguro e 13 votaram em Francisco Assis. No distrito de Braga, António José seguro obteve2.797 votos (89.33%) e Francisco Assis, 334 votos, (10.67%).
No momento da vitória, António José Seguro, prometeu renovar o PS, adiantando que iniciará já esta semana o processo que visa dar liberdade de voto aos deputados do PS na Assembleia da República. Seguro afirmou ser uma grande honra ser líder do PS e simultaneamente uma responsabilidade e uma oportunidade, mais agora, dada a difícil conjuntura nacional e internacional que se vive. Seguro prometeu que o PS vai fazer uma «oposição firme, responsável, construtiva e leal, dando prioridade máxima ao emprego». O novo Secretário-geral avisou também que o PS irá fazer uma defesa intransigente do Estado Social e do acesso universal à saúde, rejeitando uma revisão da Constituição, porque, segundo o próprio, não há em Portugal um problema Constitucional.
Francisco Assis, na hora da derrota, mostrou-se disponível para continuar a participar na vida do Partido, afirmando que já travou muitos combates na vida política, tendo ganho uns e perdido, outros. Acrescentou ser muito novo para dizer que não voltará um dia a ser candidato a secretário-geral.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.