Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 04-07-2011

SECÇÃO: Informação

Centro Infantil da Lixa esteve de visita ao concelho no passado dia 30 de Junho
À descoberta de Cabeceiras de Basto

O dia solarengo convidava a um passeio pela natureza, onde o património edificado marca pela sua imponência e beleza.
Os museus, as paisagens, os animais e os comboios serviram de chamariz.

Voltinhas a cavalo foram as mais requisitadas
Voltinhas a cavalo foram as mais requisitadas
Pouco passava das 10 horas do dia 30 de Junho, quando mais de 100 pessoas chegaram a Cabeceiras de Basto. Centro Hípico e Centro de Educação Ambiental de Vinha de Mouros, Museu das Terras de Basto e Escola Fixa de Trânsito. Foram estes os locais de visita da ‘família’ do Centro Infantil da Lixa, que escolheu o concelho Cabeceirense para o seu passeio anual.
De boné na cabeça, roupa e calçado confortável, as crianças, acompanhadas pelos pais, irmãos e avós, os funcionários e os directores do Centro Infantil preparavam-se para mais um dia de salutar convívio num local onde o verde das árvores se confunde com o negro da terra, fundindo-se em paisagens de peculiar encanto.
Tendo como guia a técnica da Emunibasto, Susana Gonçalves, o grupo partiu à descoberta das maravilhas de Cabeceiras de Basto.
Logo pela manhã, viveram-se experiências únicas com as voltinhas a cavalo no picadeiro do Centro Hípico. Os meninos e meninas do Centro Infantil da Lixa fizeram fila para andar a cavalo e a animação esteve ao rubro, sobretudo para aqueles que nunca tinham visto o animal tão de perto.
“É uma óptima sensação”, garantiram aqueles que andaram a cavalo pela primeira vez.
Depois de uma breve explicação sobre o equipamento municipal, gerido pela Emunibasto, as crianças do infantário tiveram a oportunidade de visitar todo o edifício e espaço envolvente, nomeadamente as boxes, picadeiros e abrigo para asininos. Neste local, pais e crianças ficaram inebriados pela doçura dos jumentos, que receberam muitas meiguices dos garotos.
“Que pequeninos, tão lindos!” exclamavam miúdos e graúdos à medida que se aproximavam dos animais.
Crianças divertiram-se na Escola Fixa de Trânsito
Crianças divertiram-se na Escola Fixa de Trânsito
O momento da despedida chegou e o grupo rumou até ao Centro de Educação Ambiental em Vinha de Mouros, uma área voltada para a educação e formação, tendo em vista a valorização e preservação da natureza e ambiente.
Coelho bravo, pato-real, codorniz, pombo, faisão, veado, javali, corso, muflão e raposa fizeram as delícias aos meninos e meninas, que não descansaram até verem os exemplares de todas as espécies que povoam o Centro de Educação Ambiental.
De salientar que este espaço, onde podem ser encontradas espécies vegetais de grande valor, integra ainda um complexo mais abrangente que inclui um parque infantil, um parque de merendas, mini-golf, entre outros equipamentos de interesse ao dispor da população.
A experiência revelou-se enriquecedora, permitindo que as crianças estivessem em contacto com animais selvagens, como o caso da raposa e do muflão (carneiro selvagem).
Mariana e Martim, gémeos com três anos de idade, vieram até Cabeceiras de Basto acompanhados pela avó.
“Eles já estão habituados aos animais domésticos mas é a primeira vez que eles vêm ao Centro Ambiental”, contou a avó, satisfeita com a escolha feita pelo Centro Infantil da Lixa para o passeio anual de 2011. “Estamos a gostar muito”, confirmaram os petizes.
Chegadas as 12 horas, o grupo juntou os farnéis e almoçou no parque de merendas, junto ao parque infantil de Vinha de Mouros. Trata-se de um local aprazível, com cobertos, que proporciona todas as condições aos visitantes que ali queiram parar para almoçar ou lanchar.
Ao início da tarde, com as forças retemperadas, os meninos e meninas aprenderam regras básicas de condução na Escola Fixa de Trânsito. De capacete na cabeça e ao volante do triciclo, conduzido pelos pais e educadoras, as crianças riam e pediam “mais uma voltinha” ao circuito, devidamente preparado para o efeito com sinalização vertical e horizontal, passadeiras, rotundas, cruzamentos, vias para ciclistas e peões.
Mais uma experiência única que deixou os pequenos muito entusiasmados.
O fim da linha deste passeio anual do Centro Infantil da Lixa foi mesmo o Núcleo Ferroviário do Arco de Baúlhe, que integra o Museu das Terras de Basto.
Após uma pequena explicação acerca do núcleo e dos equipamentos que o integram, as crianças foram convidadas a ver os vagões e a entrar nas carruagens de passageiros.
“Uma maravilha. Nunca pensei que tivessem cá estas máquinas em tão bom estado de conservação”, disse um dos elementos do grupo, deliciado com o espólio existente no Núcleo Ferroviário do Arco de Baúlhe.
No final, a opinião foi unânime: “valeu a pena” a visita a Cabeceiras de Basto.
De acordo com a Coordenadora do Centro Infantil da Lixa, Ana Maria Amorim, foi a primeira vez que o centro visitou o concelho Cabeceirense e afirmou levar “uma boa experiência”.
As voltinhas a cavalo, os animais, os triciclos e os comboios proporcionaram momentos inesquecíveis, pelo que o grupo “promete voltar” em família para viver novas experiências.
Para o padre Joaquim Carneiro, responsável pelo Centro Infantil, “Cabeceiras de Basto foi uma agradável surpresa”.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.