Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 11-04-2011

SECÇÃO: Recordar é viver

foto
OS MEUS SINCEROS PARABÉNS AO ESCRITOR
José Teixeira da Silva – Um homem das Terras de Basto

Há dias fiquei muito sensibilizada ao receber do meu amigo José Teixeira da Silva, uma carta com um convite para o lançamento do seu livro “Como eu vi o 25 de Abril de 1974”, que terá a data precisamente no dia das Comemorações do 25 de Abril, no Auditório Municipal de Mondim de Basto.
O José Teixeira da Silva, é um mondinense de gema mas, com uma grande costela cabeceirense, principalmente no aspecto afectivo. Quando o vi na apresentação do meu primeiro livro, na Casa da Cultura, em 2007, recordei que já o tinha conhecido há muitos anos, ainda eu era uma menina enquanto andava na escola e no Colégio de S. Miguel. Ele era nessa altura caixeiro, na conhecidíssima loja do senhor “Abilinho das Fazendas”, do Campo do Seco. Foi nessa altura que, fiquei a saber que, o Teixeira da Silva se dedicava à escrita e já tinha alguns livros publicados. Posso dizer que já li alguns e gostei, porque também, falam nesta terra e noutras até à Borralha, do concelho de Montalegre.
Temos mantido o contacto através do Ecos de Basto, quando ele nos manda notícias de Mondim de Basto. Devo dizer que nesses artigos que nos envia, fala mais das lembranças dos amigos que cá tem e de outros que, infelizmente, já não são deste mundo mas, lhe deixaram muitas marcas.
Pela maneira como Teixeira da Silva descreve as suas crónicas qualquer pessoa mais atenta que as leia, rapidamente faz um retrocesso às memórias do passado. Considero-o uma pessoa com uma grande bagagem cultural e muita experiência de vida. Um bom exemplo a seguir.
Não vou dizer mais nada sobre o amigo Teixeira da Silva, metade mondinense e outra metade por afectividade com Cabeceiras de Basto. Vou sim, transcrever na íntegra uma pequena autobiografia que ele me enviou a meu pedido. Aproveito para lhe dar os meus parabéns por mais um livro que, certamente não vão ser os últimos.
Vida e Obra

 Apresentação pública do livro sobre a história dos bombeiros - 2007
Apresentação pública do livro sobre a história dos bombeiros - 2007
Nasci no dia da graça de 05 de Abril de 1 938, no lugar da Serra da freguesia e concelho de Mondim de Basto.
Frequentei o Ensino Primário Elementar na escola do Barrio da vila e concluí a quarta classe Aprovado com Distinção.
O meu pai, era alfaiate e por via disso, foi com ele que aprendi a arte quando saí da escola. Mais tarde, frequentei as aulas nocturnas no “Externato de Nossa Senhora da Graça” e aí, fiz o 6º. Ano de Escolaridade, adquirindo uma formação que muito me ajudou no futuro. Obviamente que a minha vida teve um percurso cheio de curvas e contratempos, carregada de coisas boas e más, onde fui de tudo um pouco: Alfaiate, Músico e Maestro da Banda Filarmónica Mondinense, Empregado Comercial, Carteiro dos CTT, Comerciante, funcionário dos antigos Serviços Federados Municipais da Região de Basto, e finalmente Administrativo na Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Mondim de Basto.
Estive a trabalhar como empregado comercial, na antiga “Casa Abílio” no Campo do Sêco, de 1 962 a 1969, onde em cada cliente possuía um amigo. Que saudades desse tem-po...Cabeceiras de Basto é e será sempre, a minha segunda terra. Porque é nela, que ainda residem vivos muitos dos meus melhores amigos e porque também é nela, que estão sepultados os grandes com-panheiros da minha juventude.
Visita a Mondim do Dr. Mário Soares - 1975
Visita a Mondim do Dr. Mário Soares - 1975
Gostaria de recordar, o “José Maria Martins Pacheco”, o senhor “Aurélio da Cachada”, o senhor “Américo Bastos”, o meu querido e saudoso patrão, o “Toninho”, o senhor “Hernani de Oliveira” e o seu irmão “Ilídio de Oliveira”, o “Zequinha de Paredes”, o senhor “Fernando Ferreira”, o “Elias” do Abilinho do Talho e tantos, tantos que a minha memória já um pouco cansada não alcança.
Em 25 de Abril de 1974, participei activamente nos desenhos da liberdade e da democracia, que ajudei exaustivamente a conquistar. Nas eleições livres de 1976, incluído nas listas do Partido Socialista, fui eleito Vereador para a Câmara Municipal.
O dia 1.º de Maio de 1974- Mondim em festa
O dia 1.º de Maio de 1974- Mondim em festa
A partir dos 60 anos, comecei a escrever com mais intensidade e já publiquei vários livros: A história dos Bombeiros Voluntários, um livro de poemas, histórias da minha terra, biografia do meu professor-Dr. Valdemar Cardoso Alves, Mondinense Futebol Clube - 86 anos de história e finalmente, será apresentado no próximo dia 25 de Abril, “Como eu vi o 25 de Abril de 1974”. Tenho também já prontos paera sair brevemente, “As Memórias e a Linhagem da Família Pinto Coelho” e a “Banda Filarmónica Mondinense”.
É este em síntese, o retrato de um homem já no outono da vida, que ama Basto, porque é de Basto e continuará a fazê-lo enquanto tiver força, apesar de aos 73 anos ainda continuar a trabalhar.
Teixeira da Silva, Cândido Oliveira, do Arco de Baúlhe  e os irmãos Manuel e  Domingos Nogueira de Sousa, da Pensão Cabeceirense
Teixeira da Silva, Cândido Oliveira, do Arco de Baúlhe e os irmãos Manuel e Domingos Nogueira de Sousa, da Pensão Cabeceirense

Na Praça do Município, 1.º de Maio de 1974 - A apologia do 25  de Abril.
Na Praça do Município, 1.º de Maio de 1974 - A apologia do 25 de Abril.

foto

foto




























Por: Fernanda Carneiro

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.