Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 28-02-2011

SECÇÃO: Cultura

Cómica ‘Saga de Zacarias Contra a Morte e o Diabo’ foi um sucesso

Uma centena e meia de pessoas assistiu no passado dia 12 de Fevereiro, à exibição da peça ‘A Saga de Zacarias Contra a Morte e o Diabo’, uma encenação do Centro de Criatividade da Póvoa de Lanhoso, com o apoio do Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto.
A gastronomia associada ao teatro foi uma surpresa para a grande maioria dos espectadores que ficaram maravilhados com a peça de teatro exibida no Salão Multiusos do Mercado Municipal de Cabeceiras de Basto.

foto
A peça, que seduziu o numeroso público, foi efusivamente aplaudida e os actores elogiados por todos quantos assistiram à encenação. Muito divertida e animada, a encenação contou a história de Zacarias que queria enganar a Morte e o Diabo. Inspirado pela sua astuta mulher, o homem convida a Morte para ser madrinha da sua filha mais nova, acreditando que estava livre do inevitável fim. Uma sucessão de brincadeiras e patifarias que arrancaram muitas gargalhadas ao animado público.
Enquanto o espectador assistia ao dilema do pobre Zacarias foi servido o jantar, onde o pica-no-chão fez as delícias aos amantes desta iguaria da cozinha minhota.
Com texto e encenação do director galego Moncho Rodriguez, a peça ‘A Saga de Zacarias contra a Morte e o Diabo’ foi interpretada pelos actores Armando Luís (Zacarias), Isabel Pinto (Mulher de Zacarias), Marta Carvalho (Rezadeira e Juvita), Roberto Moreira (Diabo) e Sofia Lemos (Morte).
foto
“A celebração do teatro gastronómico é muito interessante e funciona muito bem porque se trata da junção de duas actividades iminentemente culturais ligadas à sociedade humana. Por um lado temos a teatralização e por outro a gastronomia que é a matriz cultural de um povo”, salientou o vereador da Cultura, Dr. Domingos Machado.
“As pessoas ficaram satisfeitas e é uma iniciativa que tem todo o sucesso”, acrescentou, referindo que “ a Saga se Zacarias Contra a Morte e o Diabo marca o início de um novo ano que pensamos que também vai ser cheio de sucesso no que toca a iniciativas teatrais”.
Fruto da criação do Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, os espectadores têm-se transformado em actores e actrizes. “É um fenómeno que vai deixar marcas porque há muita gente, de todas as idades, interessadas em participar nestas actividades, o que se assume como uma garantia de futuro”, destacou Domingos Machado.
foto
Visivelmente satisfeito com o desempenho dos actores e dos espectadores, o encenador Moncho Rodriguez afirmou que “em Cabeceiras de Basto está-se a construir um público fantástico para o teatro. É importante que as pessoas tenham a noção de que aquilo que estão a ver é um teatro de muito boa qualidade e estão a ser privilegiados por um repertório variadíssimo”.
Quanto à ‘Saga de Zacarias Contra a Morte e o Diabo’, o encenador desabafa: “foi um momento único, onde o público aderiu totalmente ao espectáculo e se divertiu imenso”. No fundo, o teatro gastronómico promove a tradição local, incentiva o turismo e incentiva as pessoas a participar e a fazer da cultura uma festa “porque este é o caminho para transformar as vilas e fazer com que elas estejam dentro do universo contemporâneo”, apontou Moncho Rodriguez.
Agradecendo a disponibilidade da Câmara Municipal de Cabeceiras, Moncho Rodriguez garantiu que o retorno do esforço da autarquia “vale a pena e as pessoas agradecem”.
O projecto do Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto foi implementado em 2010 em parceria com o Centro de Criatividade da Póvoa de Lanhoso.
Incentivar e desenvolver o gosto pela arte e cultura nas camadas mais jovens e ao mesmo tempo envolver toada a comunidade em acções colectivas de espectáculos e celebrações artísticas são os principais objectivos deste projecto, que conta com o empenho da empresa municipal Emunibasto.
Peça de teatro esgotou
Peça de teatro esgotou
Através de novas linguagens cénicas, o Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto tem impulsionado a renovação da tradição, memória e identidade da cultura local.

Testemunhos:
António Viana:
“É a primeira vez que assisto ao teatro gastronómico e gostei imenso. A introdução da gastronomia é muito interessante e já tive oportunidade de dar os parabéns aos actores. O enquadramento do jantar e do teatro foi muito agradável e inédito. Efectivamente, aqui está-se bem e as pessoas estão felizes e muito satisfeitas.
A peça de teatro teve muito ritmo e as pessoas foram envolvidas.
O desempenho dos actores é de louvar e gostei imenso.
Quando comermos este prato vamo-nos sempre lembrar do Zacarias”.

Hugo Teixeira:
“É a primeira vez que assisto ao teatro gastronómico e considero que é uma maneira de divulgarmos a nossa gastronomia e é uma boa iniciativa no nosso concelho.
Os actores interagiram muito bem com o público e essa foi a maneira de podermos entrar também na peça. Tenho assistido a todos os espectáculos do Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto - é uma equipa que tem um grande desempenho e é uma boa aposta para o nosso concelho”.

António Almeida:
“É a primeira vez que assisto à celebração do teatro gastronómico e decidi participar para viver esta nova experiência.
Gostei da interacção dos actores com o público e este é ponto forte do espectáculo. O público também se deixou levar pela história e é refrescante ver que há actores com esta qualidade no nosso panorama nacional”.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.