Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 17-01-2011

SECÇÃO: Em Foco

Escola Básica de Cabeceiras de Basto
Antigo ciclo, antiga EB 2,3, no Campo do Seco,será uma escola para as novas gerações, para o futuro

Construída há mais de trinta anos, a Escola EB 2,3 de Cabeceiras de Basto, antigo ciclo, no Campo do Seco, já não tinha as adequadas condições para funcionar como estabelecimento de ensino ao nível do conforto e da qualidade. Era também uma escola que se encontrava sobrelotada tendo mesmo sido necessário recorrer, em anos anteriores, a espaços alternativos (salas no Edifício do Mercado Municipal) cedidos pela Câmara Municipal para o desenvolvimento das actividades lectivas.

“Ecos de Basto” soube que no início de 2009, face às condições antes referidas, a Direcção Regional de Educação do Norte ia beneficiar a escola com obras de requalificação e com a substituição apenas do pavilhão pré-fabricado.

Brevemente a nova escola vai receber os alunos
Brevemente a nova escola vai receber os alunos

Quando a Câmara tomou conhecimento, em 2009, desta intenção da DREN de beneficiar com uma intervenção muito ligeira os edifícios da escola e substituir somente o pré-fabricado, estabeleceu de imediato contactos com o Ministério da Educação para ser construída uma escola de raiz, uma escola nova. O Ministério da Educação concordou com esta reivindicação da Câmara Municipal, segundo a informação então obtida.

Depois de algumas insistências, por parte da Câmara Municipal, iniciou-se o processo de elaboração dos projectos e do lançamento das obras que tiveram o seu começo em 26 de Junho de 2009. Logo no início dos trabalhos a empresa construtora colocou pavilhões apropriados, inclusivamente com ar condicionado, para que as aulas no ano escolar 2009/2010 decorressem dentro da normalidade e não houvesse a suspensão das actividades lectivas, de acordo com a comunicação a que tivemos acesso.
foto

Ainda e conforme a mesma fonte informativa, as obras estavam a decorrer com a celeridade exigida no concurso para que em Outubro de 2010 a nova escola pudesse ser usada pela comunidade educativa, professores, alunos, encarregados de educação e pessoal não docente. Mas, em Junho de 2010, verificou-se que o projecto tinha uma omissão relativa ao sistema de desenfumagem e outras especialidades associadas, sistema este fundamental para a segurança e qualidade ambiental de todos os espaços da escola. Perante esta situação foi mandado elaborar o projecto da especialidade e procurou-se garantir o financiamento para o mesmo realizando-se de seguida o concurso para a sua execução.

Sabemos também que foi entretanto necessário abrandar a execução dos trabalhos iniciais para enquadrar nos edifícios o sistema de desenfumagem e outros trabalhos complementares. Sabemos ainda que desde Dezembro as obras decorrem com normalidade, voltando a sua execução ao ritmo que havia anteriormente, prevendo-se que dentro de mês e meio, em Março deste ano, se comecem a efectuar as mudanças para as novas salas de aula.

Pelo que nos foi referido, a Câmara Municipal e a DREN – Direcção Regional de Educação do Norte têm procurado agir no cumprimento da lei, na defesa do interesse público e de todos os Cabeceirenses, mais concretamente de todos os agentes educativos, professores, alunos, assistentes e encarregados de educação, com a construção de uma obra que ficará para o futuro e para as novas gerações.

É bem notório que a nova escola será incomparavelmente melhor em espaços, em dimensão, em conforto e em funcionalidade que a antiga escola, ficando como uma marca bem distinta naquilo que é a construção de edifícios públicos em Cabeceiras de Basto.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.