Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 30-12-2010

SECÇÃO: Informação

Centenas de famílias receberam cabazes de Natal

Fruto de uma campanha solidária, centenas de famílias economicamente mais débeis e desfavorecidas do concelho de Cabeceiras de Basto receberam cabazes de Natal, uma iniciativa que teve como objectivo ajudar os mais necessitados em tempos de crise generalizada e de grande desemprego.
Sinalizadas pelos Serviços de Acção Social da autarquia, Comissão de Protecção de Crianças e Jovens (CPCJ), Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto (ADIB) e IPSS, as famílias receberam leite, azeite, arroz, aletria, bolachas, massa, bacalhau e bolo-rei, entre outros bens alimentares.
Os cabazes de Natal foram personalizados em função do número de crianças e adultos que compõem os diferentes agregados familiares, com o objectivo de promover a solidariedade junto das famílias mais carenciadas, proporcionando-lhes assim uma época natalícia mais feliz.
De salientar que a recolha e distribuição dos cabazes foi efectuada pelo Banco Local de Voluntariado com o apoio da ADIB e do Município de Cabeceiras de Basto.

Alexandre e Alcina Teixeira dois dos muitos voluntários que participaram na recolha de alimentos
Alexandre e Alcina Teixeira dois dos muitos voluntários que participaram na recolha de alimentos
A campanha de recolha de bens alimentares contou com a colaboração da sociedade civil e dos estabelecimentos comerciais e também com o envolvimento de muitos voluntários que se associaram a esta causa solidária, angariando bens e distribuindo cabazes para proporcionar um Natal mais caloroso a centenas de Cabeceirenses.
No final, os voluntários reuniram-se em convívio, fazendo um balanço muito positivo desta iniciativa.
Hugo Magalhães, 18 anos, participou pelo segundo ano na recolha e distribuição de bens às famílias mais carenciadas do concelho de Cabeceiras de Basto. “O voluntariado é muito interessante e o grande prémio que levamos para casa é a satisfação das pessoas”, disse Hugo Magalhães, garantindo que “o sorriso das pessoas é gratificante”.
O jovem, inscrito no Banco Local de Voluntariado, garante que vai continuar a participar em iniciativas do género para ajudar quem mais necessita de apoio.
Muito ligada às causas do voluntariado, até mesmo internacional, Sofia Castro dedica parte da sua vida ao voluntariado. Quanto à recolha de bens, a jovem salientou que “as pessoas disponibilizaram o seu tempo e mostraram-se motivadas sem esperar nada em troca”.
“O voluntariado é gratificante e enriquecedor”, destacou.
Alexandre Teixeira, 76 anos, é voluntário desde que o Banco Local de Voluntariado foi criado em Cabeceiras de Basto, participando pelo segundo ano consecutivo na recolha e entrega de bens alimentares aos mais carenciados.
“Quando aderimos ao voluntariado sabemos que o trabalho é feito por amor ao próximo”, explicou Alexandre Teixeira, que participa em acções de voluntariado o ano inteiro, nomeadamente nas visitas ao domicílio a pessoas doentes.
Há um ano ligado ao voluntariado, Joaquim Leite, 62 anos, participou na recolha de bens alimentares afirmando que “a entrega dos cabazes não é muito fácil mas reconfortante”. O sexagenário diz-se “satisfeito por ajudar a melhorar a vida dos outros”.
A campanha de recolha de bens teve como resultado “um balanço extremamente positivo, quer pelo número de pessoas que estiveram envolvidas, voluntariamente, na recolha e entrega dos bens, quer pelas famílias beneficiadas, quer pela eficácia da acção”, sublinhou a coordenadora do Banco Local de Voluntariado, Dra. Rosa Miranda.
Na iniciativa estiveram envolvidos cerca de 70 voluntários, número que aquela responsável “espera que se mantenha e que vá crescendo, solidificando o espírito de solidariedade e sobretudo o sentido de compromisso assumido”.
Quanto aos voluntários envolvidos na entrega de cabazes, “pessoas activas e extremamente voluntariosas”, Rosa Miranda referiu que “não há palavras para reconhecer o trabalho destas pessoas”.
Para o presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Eng.º Joaquim Barreto, “o voluntariado tem dado passos gigantes no concelho” ao nível da recolha e entrega de cabazes de Natal. E afirmou: “o concelho está grato a todos os voluntários pelo trabalho importante que fazem, que é um exemplo para outras pessoas”.
Desejando que “a dinâmica do voluntariado seja cada vez maior”, Joaquim Barreto enalteceu o trabalho feito em prol dos Cabeceirenses.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.