Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 23-08-2010

SECÇÃO: Opinião

foto
Que Saudades!

Vêm-me à memória tempos passados de menina e moça.
Recordar é viver, talvez por tal, me deixo levar e mergulho neles de corpo e alma. E sinto-me lá tão bem, acompanhada de meus Pais e irmãos, naquela nossa união tão forte, tão espiritual como na luta do dia a dia, e faz-me saudade, muitas saudades!
Recordo como se rezava o terço a Nª Senhora todas as noites.
Depois orávamos pelos familiares já falecidos, pelos vizinhos da porta, pelos amigos e vejam lá, também orávamos pelos nossos inimigos! Ah e também a Santo António para proteger os nossos animais e os negócios. No fim pedíamos a bênção ao Pai e Mãe com muito respeito e lá vinha.
«Deus te abençoe minha filha»
Viajando assim no tempo, também ouço no meu ouvido todos aqueles lindos cantares desde manhãzinha, ao anoitecer, no tempo das lavouras e das colheitas.
Punha-me à janela a ouvir…
E as saídas aos Domingos, todas arranjadinhas, mas com regras e toda a austeridade dos meus Pais.
Hoje já não é nada assim! Os tempos e os bons costumes mudaram.
Como o respeito pelos outros, basta olhar à nossa volta, ler os jornais, ver as notícias, apreciar quem se cruza no nosso caminho.
Mas ainda há gente boa, graças a Deus.
Tudo isto para dizer, que é cada vez mais difícil dar a educação aos nossos filhos. Fiquem-lhe ao menos os nossos bons exemplos.

Fernanda Leitão

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.