Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 02-08-2010

SECÇÃO: Informação

Mosteiro S. Miguel de Refojos

A Igreja do Mosteiro de São Miguel de Refojos, em Cabeceiras de Basto acolheu no dia 24 de Julho, um Concerto de Órgão e Coro. Uma iniciativa inserida no primeiro Festival de Música Antiga que a Associação de Municípios do Baixo Tâmega promoveu nos Mosteiros S. Miguel de Refojos e São Gonçalo de Amarante, nos dias 23 e 24 de Julho.
No dia 23 de Julho, teve lugar um concerto na Igreja de São Gonçalo em Amarante, antecedido pela inauguração das obras de recuperação do órgão de tubos ali existente, cujo restauro decorre de uma candidatura conjunta apresentada em tempos pelos municípios de Amarante e Cabeceiras de Basto e que viabilizou o restauro destes dois importantes instrumentos musicais, até então desactivados.

A organista e o Maestro agradeceram ao público presente
A organista e o Maestro agradeceram ao público presente
No dia 24 de Julho, coube à Igreja de São Miguel de Refojos, em Cabeceiras de Basto, abrir as portas para a realização de mais um concerto de órgão e coro. O recital de órgão foi interpretado pela organista Monika Henking, que se faz acompanhar pelo Grupo Coral de Montalegre, que de forma sublime entoou cânticos ao som de tão belo e único instrumento, proporcionando a todos os presentes momentos culturais de nível elevado.
Este primeiro festival de música antiga, agregou os Municípios de Amarante e de Cabeceiras de Basto, num projecto cultural comum resultante da recuperação dos dois magníficos órgãos de tubos que os dois Mosteiros possuem , que permitiu devolver às populações o seu belo toque barroco.
Recuperação do órgão da Igreja do Mosteiro S. Miguel de Refojos pôs termo a mais de oito décadas de silêncio

De referir ainda, que o restauro do Órgão de Tubos da Igreja do Mosteiro de S. Miguel de Refojos, foi o primeiro a ficar concluído e a sua inauguração ocorreu em Julho do ano passado. A partir de então, este vetusto instrumento musical já deu azo a dois magníficos concertos que lotaram aquele espaço de culto e proporcionaram momentos de grande beleza a todos os que ali se deslocaram para assistir. A sua recuperação permitiu assim reaver este importante património concelhio, cujo restauro há muito era reivindicado, o que representa um contributo para uma maior e melhor oferta cultural em Cabeceiras de Basto. De referir ainda que esta obra levada a cabo desde 2007, envolveu um esforço financeiro das duas Câmaras Municipais abrangidas, que suportaram 38% do custo do investimento, apesar deste património não ser municipal, o que demonstra bem a atenção que os autarcas dão à recuperação e valorização dos monumentos em geral, e em particular, no caso, aos Mosteiros de S. Miguel de Refojos e de S. Gonçalo.
O restauro do órgão de tubos da Igreja do Convento de São Gonçalo, só agora se encontra concluído. Resultou de um trabalho minucioso levado a cabo por equipas especializadas, o que aconteceu nos dois casos. Recorde-se que as obras de restauro forma da responsabilidade da Oficina e Escola de Organaria, Lda., representando um investimento de 547.525 Euros.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.