Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 29-04-2010

SECÇÃO: Informação

Igreja do Mosteiro de S. Miguel de Refojos acolheu Concerto de Páscoa

Com o apoio da Paróquia de Refojos e da empresa Emunibasto, a Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, promoveu no dia 27 de Março, o primeiro Concerto de Páscoa de órgão e coro, na Igreja do Mosteiro de S. Miguel de Refojos.
Uma iniciativa que teve como objectivos principais contribuir para o conhecimento e para a valorização do património concelhio, proporcionando ao mesmo tempo um programa cultural direccionado a todos aqueles que apreciam música sacra e clássica.

O Dr. João Duque do grupo Capella Bracarensis no uso da palavra
O Dr. João Duque do grupo Capella Bracarensis no uso da palavra
Este Concerto de Páscoa, integrado na agenda cultural do Município de Cabeceiras de Basto, integra também a programação da Semana Santa deste concelho, conforme referiu na ocasião o Arcipreste Marcelino Esteves. Um instrumento ibérico com características próprias, cujo toque pelas mãos do organista Daniel Pereira, acompanhado pelo Coro Capella Bracaransis, garante a todos os presentes belos momentos musicais.
Daniel Pereira Ribeiro foi o organista convidado, que com mestria interpretou vários temas neste precioso órgão. No concerto participou também o coro Cappella Bracarensis, que ora a solo, ora acompanhando o ornagista, deu corpo a um magnífico espectáculo de órgão e coro.
Também Daniel Pereira Ribeiro, organista convidado que possuí um vasto curriculo musical, interpretou a solo temas como Variações sobre “Ballo del Granduca” de J. P. Sweelinck; Primer tiento de 1º tono de Adrés de Sola; obra de 1º Tono de registro de mano derecha, de Pedro de San Lorenzo; obra de 1º Tom, de Frei Luís Coutinho e Batalha de 6º Tom. Interpretou ainda conjuntamente com o coro Cappella Bracarensis, “Domine, tu mihi lavas pedes”; Confesso o meu pecado do compositor cabeceirense Joaquim Santos; “Pater mi”, de António de Oliveira; “Christus factus est” de David Perez; Stavat Mater,de J. Rodrigues Esteves. Durante o concerto foram ainda interpretados temas como “Tristis est” de D. Pedro de Cristo; “Chritus factus est” de Casimiro Júnior; Crucifixo e Sangue de Cristo, de Manuel Faria e “Videbimus eum” de Joaquim Santos.

Preservar e promover o património concelhio
O Organista Daniel Ribeiro em plena actuação
O Organista Daniel Ribeiro em plena actuação

De referir que este foi o terceiro concerto – o primeiro de Páscoa - levado a cabo na Igreja do Mosteiro de S. Miguel de Refojos, após o restauro do órgão de tubos recuperado em 2009. Um acontecimento histórico, que devolveu o toque deste importante instrumento musical aos cabeceirenses, após cerca de oito décadas de silêncio. Pelas mãos do organista suiço Peter Leu, em Julho passado, a música invadiu aquele magestoso templo, maravilhando e enchendo de orgulho não só os cabeceirenses como todas as pessoas presentes, que ali se deslocaram para testemunhar um momento único que marcou um novo ciclo cultural em Cabeceiras de Basto.
De referir que a recuperação deste Órgão resultou de várias diligências efectuadas pela Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto e de um esforço financeiro significativo, que permitiu recuperar este importante património concelhio, que contribuirá doravante para proporcionar uma maior e melhor oferta musical, através da realização de vários concertos, frisou na ocasião o Vereador da Cultura, Dr. Domingos Machado.
Esta determinação municipal, de devolver à população o toque do “maior instrumento completo de Francisco António Solha, datado de 1771”, demonstra bem a atenção dada à recuperação e valorização dos monumentos em geral e em particular, neste caso, ao Mosteiro de S. Miguel de Refojos. A acção da Autarquia, com a colaboração da Paróquia de Refojos contribui para o conhecimento e para a valorização do Património, trazendo da penumbra dos tempos, uma nova História, dando-lhe visibilidade e criando motivos de orgulho na nossa terra. O autarca disse ainda que este é o resultado do investimento que é feito no Turismo Cultural, capaz de promover a arte instalada nos próprios Mosteiros e Igrejas que pode ser uma opção para a sustentação do Património de origem religiosa, mas que ultrapassa largamente esse patamar. Uma vez recuperado, o Órgão do Mosteiro de S. Miguel de Refojos, enobrece o monumento e diversifica a oferta cultural aos locais e a todos os visitantes.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.