Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 31-08-2009

SECÇÃO: Informação

Casa do Povo do Arco de Baúlhe reabre ao público

Após um investimento de 508.835,89 euros efectuado pela Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto e pelo IEFP – Instituto de Emprego e Formação Profissional, nas obras de reconstrução, a Casa do Povo do Arco de Baúlhe entrou no dia 31 de Agosto em funcionamento.
Depois de ter sido inaugurada no dia 29 de Agosto, pelo Ministro do Trabalho e da Solidariedade Social, Dr. José António Vieira da Silva, numa cerimónia que contou com a presença de vários responsáveis pelos serviços desconcentrados do estado, autarcas e demais população que ali se deslocou para assistir a tão importante acontecimento para aquela vila arcoense, este antigo edifício apresenta-se agora totalmente remodelado e modernizado, dispondo de gabinetes, bar, instalações sanitárias, salas para reuniões, salas de formação, arquivo, sala de música, sala para as novas tecnologias da informação, auditório, bastidores e balneários, bem como um polidesportivo que a Autarquia Cabeceirense executou e que integra também este espaço, que agora pode ser utilizado quer pelos arcoenses em particular, quer pelos cabeceirenses em geral.

O edil cabeceirense agradece com um abraço, toda a colaboração que este governante tem dado para o desenvolvimento do concelho
O edil cabeceirense agradece com um abraço, toda a colaboração que este governante tem dado para o desenvolvimento do concelho
Além de acolher as sedes da ARCA – Associação Recreatriva e Cultural de Arco de Baúlhe e do Desportivo do Arco de Baúlhe, este edifício passa igualmente a servir de sede para a Junta de Freguesia e a disponibilizar serviços da Câmara Municipal e da empresa Emunibasto.

Recuperação modelar

Uma recuperação considerada modelar por aquele membro do Governo, que após visita às instalações, na sua intervenção realçou a qualidade e o gosto na concretização deste projecto, que transformou um antigo edifício numa estrutura moderna e funcional. O Ministro realçou que a Casa do Povo é agora “talvez como nunca, a Casa do Povo das gentes de Arco de Baúlhe”. Após uma jornada pelo distrito de Braga, o Ministro disse ser esta inauguração uma forma feliz de finalizar o dia, lembrando na oportunidade as várias obras executadas e em execução naquela freguesia de Arco de Baúlhe, que vêm sendo desenvolvidas em cooperação com a sociedade civil e com as autarquias locais e desta forma enriquecendo a rede de intervenção social no concelho e na região, com respostas de nível elevado e de referência à escala regional e nacional.
Muitos populares, autarcas e dirigentes assistiram à inauguração
Muitos populares, autarcas e dirigentes assistiram à inauguração
Lembrando o percurso das antigas Casas do Povo e as actuais valências com que este edifício fica doravante dotado, aquele membro do Governo disse que aqui o caminho está traçado, havendo uma visão funcional, de prestação de serviços que contribuem para o bem estar das pessoas. Esta Casa do Povo serve assim como um portal para o mundo, ao abrir as portas às suas gentes, oferecendo-lhes serviços e tecnologias, que tal como a autoestrada (A7-Nó de Basto), em cujo processo também participou aquando do planeamento da rede de estrada para o Norte do País, reforça a ideia de centralidade desta terra de Arco de Baúlhe e do concelho de Cabeceiras de Basto, que se encontra em crescente desenvolvimento sócio-económico, dotado de bons acessos e equipamentos, que contribuem para diminuir as assimetrias entre o litoral e o interior do país. Esta fluidez, de bens e pessoas, são factores de desenvolvimento que transformam as regiões do interior dotando-as de qualidade de vida e apresentando-se como uma vantagem diferenciadora. O Ministro terminou dizendo que esta Casa do Povo, pode também ser um equivalente humano de desenvolvimento, funcionando como uma portal para o mundo, que se constrói também através da cultura, do conhecimento, do enriquecimento e da capacidade das nossas gentes, utilizado não só para sair, mas também para regressar, através da mobilização da sociedade civil e do desejo de construir um país que não esqueça o seu passado, mas que do passado faça pontes para o futuro e para o desenvolvimento.
O Ministro Vieira da Silva inaugurou as obras de recuperação
O Ministro Vieira da Silva inaugurou as obras de recuperação

Visão funcional disponibiliza novos serviços à população

Por sua vez o edil Cabeceirense, Eng.º Joaquim Barreto, realçou a atenção que o Governo tem demonstrado para com este concelho, através da construção de obras, seja ao nível das vias, seja ao nível dos equipamentos, estruturantes para o desenvovimento desta terra de Basto e para o bem estar das suas gentes. O autarca, referiu ainda o histórico do imóvel, que em tempos albergou também o Centro de Emprego de Basto e que por força de um incêndio ocorrido em 2005, teve que ser reconstruido. Uma reconstrução que respeitou a traça original e aí foram criadas novas valências culturais, sociais, desportivas, recreativas e de prestação de serviços, que realçam a importância e a centralidade desta freguesia arcoense. O autarca terminou enaltecendo o importante papel da Junta de Freguesia em todo este processo, na defesa e na valorização do património daquela localidade.
A comitiva de visita às novas instalações da sede da ARCA
A comitiva de visita às novas instalações da sede da ARCA

Espaços de aprendizem e de lazer

O polidesportivo é uma mais valia para a juventude
O polidesportivo é uma mais valia para a juventude
Também o presidente da Junta de Freguesia de Arco de Baúlhe, Armando Duro, visivemente satisfeito, disse tratar-se de mais uma importante obra efectuada na freguesia, que cria espaços de convívio, de aprendizagem, de formação e de informação, acessíveis a todos e conducentes ao desenvolvimento das gentes e da terra.
O autarca lembrou a construção de outras obras de vulto naquela localidade, tais como o Centro de Emprego de Basto, a Piscina Municipal, a Biblioteca Municipal Dr. António Teixeira de Carvalho, entre outras, que conferem centralidade àquela freguesia, detentora de gente laboriosa.
Na sala destinada à música a comitiva apreciou alguns aprendizes
Na sala destinada à música a comitiva apreciou alguns aprendizes

Câmara estabelece protocolos

A Autarquia Cabeceirense prepara-se de igual forma para celebrar um Protocolo com as referidas entidades assim como, a Junta de Freguesia do Arco de Baúlhe e a Emunibasto, E.M., tendo em vista a utilização do Edifício, sua administração, manutenção e reparação do mesmo.











© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.