Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 31-08-2009

SECÇÃO: Destaque

No Salão Nobre, o Chefe de Estado Maior do Exército, enalteceu  parceria estabelecida e obra feita
No Salão Nobre, o Chefe de Estado Maior do Exército, enalteceu parceria estabelecida e obra feita
PISTA DE AERONAVES DE CABECEIRAS DE BASTO INAUGURADA PELO CHEFE DO ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO

«Esta obra é um bom exemplo da colaboração entre o Exército Português e as autarquias». Foi desta forma que o Chefe do Estado-Maior do Exército, General Pinto Ramalho se referiu ao grandioso trabalho desenvolvido na Serra da Cabreira, freguesia de Abadim, do concelho de Cabeceiras de Basto, pelo Regimento de Engenharia n.º 3 de Espinho e pela Câmara Municipal, durante a cerimónia de inauguração, a que presidiu, da Pista para Aeronaves de Cabeceiras de Basto, ocorrida, no dia 16 de Agosto.
Militares, Autarcas e Civis na Pista para Aeronaves de Cabeceiras de Basto
Militares, Autarcas e Civis na Pista para Aeronaves de Cabeceiras de Basto
Foram muitos os Cabeceirenses que quiseram associar-se a esta cerimónia e compareceram em frente à Câmara Municipal, pelas 9h30m, para assistirem à Guarda de Honra Militar que uma Companhia do Regimento de Engenharia de Espinho, acompanhada da Banda e Fanfarra do Exército prestou ao Chefe do Estado-Maior, seguindo-se a sessão solene no Salão Nobre da Câmara Municipal.

Concretização de um sonho

O Presidente da Câmara e o Chefe de Estado Maior do Exército descerraram a placa inaugural da Pista
O Presidente da Câmara e o Chefe de Estado Maior do Exército descerraram a placa inaugural da Pista
Com a presença dos senhores Comandante Operacional do Exército, General Pina Monteiro, Comandante da Brigada de Intervenção, General Martins Ferreira, dos Comandantes dos Regimentos de Espinho, Braga e Vila Real, de oficiais e praças que estiveram envolvidos nos trabalhos da Pista, de deputados da Assembleia da República, autarcas e outros convidados, o Presidente da Câmara, durante a sessão solene que ocorreu no Salão Nobre, realçou a importância deste dia para Cabeceiras de Basto, «uma vez que ele representa a concretização de um sonho», disse. E acrescentou:. «…a localização estratégica desta Pista, próxima de grandes albufeiras, vai possibilitar a sua utilização para o apoio ao combate a incêndios florestais numa zona de mancha florestal muito vasta. Mas será também um equipamento a despertar novas oportunidades económicas, nomeadamente no sector do turismo e lazer. Por isso, estamos já em contacto com aeroclubes de outras regiões para que possamos potenciar a nossa Pista, licenciada no passado dia 24 de Junho, por ora, para aeronaves ultraleves». Na oportunidade o Presidente da Câmara agradeceu à Instituição Militar e aos militares todo «o empenho, dedicação e trabalho levado a cabo na construção deste equipamento» que é multifuncional, uma vez que integra também um hipódromo com 950 metros de pista. Referiu que os Cabeceirenses estão gratos e reconhecidos aos militares que por aqui passaram mas também a todos os restantes, nomeadamente às chefias que tornaram possível esta realização.

Trabalho feito de forma faseada

Uma dúzia de ultraleves marcaram presença nesta cerimónia inaugural
Uma dúzia de ultraleves marcaram presença nesta cerimónia inaugural
O trabalho dos militares desenvolveu-se em três fases distintas: entre 2001 e 2003 as escavações e movimentações de terras possibilitaram a execução de uma pista de 600 metros; entre Abril de 2007 e Janeiro de 2008 a ampliação da pista para 800 metros e entre Julho de 2008 e o Verão do corrente ano a ampliação para 1000 m, alargando o cone de aproximação à pista e executando uma plataforma de paragem e estacionamento para aeronaves. Ao todo foram escavados e movimentados 600 mil metros cúbicos de terras, percorridos 120 mil quilómetros e 24 mil horas de trabalho de máquinas. Estes dados foram anunciados pelo Comandante do Regimento de Engenharia de Espinho, Coronel Hermínio Maio, numa breve descrição do que foi a actividade dos militares em Cabeceiras de Basto.

Ultraleves associaram-se à festa
O Coronel H. Maio, do RE3 explicou a natureza dos trabalhos realizados
O Coronel H. Maio, do RE3 explicou a natureza dos trabalhos realizados

A inauguração contou com a presença de doze ultraleves vindas de Alqueidão, Lezírias, Águeda, Mirandela, Bragança e, ainda, Cerval (Cerveira/Valença) que se constituiu como a maior representação com sete aeronaves. De acordo com testemunhos recolhidos junto dos pilotos que se deslocaram a esta nova pista, as condições são muito boas, excedendo as expectativas. Com a construção de um hangar poder-se-á depois pensar na organização de cursos de pilotos que têm tido cada vez mais procura de acordo com alguns dos participantes neste encontro que são simultaneamente instrutores.
Fica assim inaugurada e colocada à disposição dos amantes da aviação ligeira um novo equipamento municipal, cujo acto foi referenciado na Revista editada pela Associação Portuguesa de Aviação Ultraleve, que a este propósito felicitou o Município de Cabeceiras de Basto pela criação desta infra-estrutura que consideram uma mais valia para a região. “A pista localiza-se numa área de relevo significativo e foi implantada, com um trabalho muito expressivo de terraplanagens e aterros”. Fica muito próxima de uma área de lazer, com uma área de “merendas” e praia fluvial represada na encosta,reunindo-se condições consideradas propícias para passar uma tarde agradável em Cabeceiras de Basto.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.