Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 20-07-2009

SECÇÃO: Opinião

foto
Abandonado

Eu vivo triste, sozinho, sem pai nem mãe, nem ninguém.
Só conheço a fome e a dor, nunca soube o que era bem.
Ando à chuva, ao frio, ao vento por esses caminhos.
Só, roto, peço esmola em vão e de mim ninguém tem dó.
Felizes vejo passar meninos lindos que têm pai e mãe, só eu ando sem carinhos de ninguém.
Filhos, amai vossa mãe tende-lhe afecto profundo quem tem mãe é o maior bem que se pode ter no mundo.

Maria dos Anjos Leite

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.