Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 27-04-2009

SECÇÃO: Desporto

Rumo ao título

foto
Atlético Cabeceirense 4 – Os Sandinenses 2

Num autêntico espectáculo, para quem assistiu ao jogo, entre duas equipas, que lutam pelos lugares cimeiros, terminou com a vitória, da equipa da casa, por quatro bolas a duas. Sendo este, o jogo grande da jornada, onde opunha o primeiro e o terceiro classificado, da II divisão distrital de Braga, das camadas dos juvenis, transformou-se num verdadeiro espectáculo de futebol, com muitos golos, casos, bolas nos postes e principalmente, uma partida bem disputada pelas duas formações.
foto
A primeira parte, começou com a equipa do Atlético, a dominar a partida, e não foi com surpresa que logo, ao terceiro minuto, a equipa da casa se pusesse em vantagem, com um golo de Preto, aproveitando-se da desatenção da defesa contrária, abrindo assim o activo. Passado cinco minutos depois do golo um lance muito perigosos poderia alargar a vantagem, mas o guarda-redes dos visitantes opôs-se com supremacia, não deixando aumentar a vantagem, o jogo estava equilibrado, e ambas as equipas poderiam chegar ao golo. Durante a partida, foi havendo algumas picardias entre os jogadores das duas equipas, sendo exemplo logo aos 12 minutos, entre Preto do Atlético e Nelson do Sandinenses, levando o arbitro a mostrar amarelo aos dois. O jogo continuava equilibrado, com lances perigosos para os dois guarda-redes, aos 17 minutos lance duvidoso, dentro da área do Sandinenses, com a equipa da casa, a reclamar grande penalidade, que no nosso entender o árbitro acertou ao deixar seguir o jogo. Aos 19 minutos, surgiu o empate, com um grande remate da linha de grande área, colocado e sem hipótese para Gomes o guarda-redes do Atlético. A equipa da casa, respondeu logo de seguida, com remate perigos à trave, mas de seguida, um lance entre o guarda-redes e o jogador da equipa visitante, levantou protesto sobre a não marcação de uma grande penalidade. Quando a equipa da casa começou, a ter uma ligeira dominância no jogo, surgiu aos 28 minutos, o 2 - 1 para o Cabeceirense, através de Filipe, com um remate fortíssimo ao entrar da área, jogador este que iria ser predominante no resultado final. Na parte final da primeira parte, a chuva apareceu com um pouco de intensidade, prejudicando um pouco o espectáculo que se estava a assistir em campo, surgindo pouco depois o apito para o intervalo. A segunda parte começou, como tinha terminado a primeira, com as duas equipas à procura de golos, surgindo logo, ao seis minutos, para o lado dos Sandinenses, num lance que o árbitro, teve culpas, ao não assinalar fora de jogo, levando a uma grande discussão entre os jogados e os treinadores de ambas as equipas, sendo preciso que o árbitro e os jogadores menos exaltados pusessem fim ao episódio desagradável que estava a acontecer, surgindo ainda um amarelo para o jogador do Atlético, Douradinho por protestos. Com os ânimos mais calmos, o Cabeceirense foi à procura da vitória, pois era esse resultado que interessava, para poderem manter a primeira posição, mas o jogo continuava com lances de perigo tanto para um lado como para o outro, sendo o resultado final incerto. Mas quem ficou mais perto do golo, foi a equipa forasteira que aos 14 minutos, num lance muito confuso, leva a bola a embater na barra, surgindo um canto, de onde nasceu mais um lance perigoso, levando de novo a bola ao poste da baliza defendida por Gomes. O jogo aquecia e um minuto depois deste lance, surge uma agressão ao jogador do Atlético, levando de novo os ânimos a aquecer entre os jogadores, acalmados pelos colegas mais calmos, surgindo dai mais dois amarelos, um para cada lado. Dando seguimento à marcação dessa falta surgiu, um lance bastante perigoso para o lado do Atlético o guarda-redes João a surgir em grande novamente e a defender para canto, na marcação desse canto surge novamente um remate à baliza do Sandinenses, respondendo de novo com exelente defesa para canto, e como à terceira é de vez, surgiu através do canto, o 3- 2 para os da casa, por Filipe, que pela segunda vez põe o Atlético a ganhar, cabeceando na pequena área, não dando hipótese de defesa ao guardião. Aos 28 minutos, o Atlético acaba com as hipótese, de o Sandinenses conseguirem um bom resultado, marcando o quarto golo da equipa, num lance que surgiu de uma insistência a meio campo, isolando Preto que frente a frente ao guarda-redes, que saiu para fazer a mancha, coloca com a cabeça o esférico por cima do guarda-redes, fazendo-lhe um chapéu e marcando o 4-2 para a equipa da casa, criando bastante alegria nos adeptos presentes. A partir do golo e até ao final não houve mais lances de relevo acabando assim com a vitória da equipa que lutou mais e foi mais feliz. A arbitragem não foi muito boa, mas razoável.
Assim pela equipa do Atlético alinhou com: Gomes, Jorge, Sousa, Filipe, Douradinho, Hugo, M. Carvalho, A. Azevedo, Pépé, Rodrigo, Preto, entrando ainda Pedro, Chico e Ricardo; Treinador: Daniel
Pelo Sandinenses alinhou: João, Luís, Pedro, Germano, Pedro Mendes, Zizou, Daniel, Ricardo, João Pedro, Leandro, Nelson, entraram ainda Renato; Treinador: Carlos


Por: Manuel Magalhães

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.