Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 27-04-2009

SECÇÃO: Concelho em acção

FAIA
NOVAS VIAS E ARRUAMENTOS DÃO NOVO ROSTO À FREGUESIA

foto
Em pouco mais de um ano a Freguesia da Faia sofreu uma profunda transformação da sua paisagem, por força da construção da nova Variante entre o Nó da A 7 e Lameiros. O rompimento desta importante via de acesso à sede do concelho, com a construção inerente de dois grandes viadutos, duas passagens superiores, junto à Escola e no Vilar, e um nó viário do acesso a partir da EN 206, alteraram substancialmente a “fisionomia” desta pacata povoação, com forte impacto no “modus vivendi” das suas gentes. Com efeito, as estradas, os caminhos ou os simples trilhos pedonais de acesso aos principais locais públicos e de culto da freguesia, como a Escola, a Igreja ou o Cemitério, foram profundamente afectados.
Atenta aos problemas, ao pulsar e sentir da população, a Câmara Municipal desenvolveu, quase em simultâneo com a construção da referida Variante, um conjunto de empreendimentos que vieram suprir, minorar e em alguns casos melhorar as condições anteriores, no que respeita à circulação viária e mobilidade pedonal.
«Agora para chegar à Igreja não preciso de  usar galochas nem calçar mato» Maria Adelaide Oliveira
«Agora para chegar à Igreja não preciso de usar galochas nem calçar mato» Maria Adelaide Oliveira
Foi o que resultou, com o rompimento de um novo caminho entre o Largo da Casa Nova e o Largo da Igreja, uma velha aspiração das populações residentes a que já nos referimos em edições anteriores, com um braço de ligação à EN 205, junto à Ponte do Seixo. Obra de grandes dimensões, como nos referiu um responsável da autarquia, só se tornaram possíveis graças à generosidade e colaboração dos proprietários dos terrenos afectados, (José Manuel Lousada, Manuel Pimenta, Mário Sousa, Domingos Teixeira e Manuel Carvalho). Estes novos arruamentos, com uma largura média de cinco metros e uma extensão de mais de seiscentos metros, obrigaram à construção de um aqueduto sobre uma ribeira e a grandes movimentos de terras. Os trabalhos foram recentemente concluídos com a sua pavimentação em alcatrão, criando-se assim novas condições de mobilidade na freguesia, com ligação ao exterior e à vizinha freguesia de Basto.
Na abordagem que fizemos a alguns residentes, pudemos concluir que estes dois investimentos foram muito bem aceites pela população local e do agrado dos seus representantes autarcas. “- Para mim, foi a melhor coisa que podia acontecer”- referiu-nos Maria Adelaide Oliveira, que exerce função de catequista da paróquia e reside junto à Ponte do Seixo. “Agora, chego à Igreja num instante por bom caminho, sem necessidade de andar de galochas ou por carreiros a calcar mato”.
Por sua vez, António Magalhães, o Presidente da Junta de Freguesia da Faia, foi mais cáustico nas suas afirmações, ao dizer-nos que “estes investimentos na freguesia são de inteira justiça e minimizam um pouco o impacto negativo resultante da construção da variante”. Mesmo assim, referiu, podem constituir um factor de desenvolvimento para a freguesia, ao criar melhores condições de mobilidade e abrir novos espaços para a construção, em especial para os moradores dos lugares da Casa Nova, Pinheiros e Barreiras.”

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.