Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 23-02-2009

SECÇÃO: Informação

Crianças de Cabeceiras de Basto receberam óculos

Com a presença do Luís Castro, responsável da ONG – Missão Infinita e de Castro Neves em representação do Instituto CUF, foram entregues no dia 14 de Fevereiro, na Casa Municipal da Cultural, óculos a sete crianças de Cabeceiras de Basto.
Uma cerimónia simples onde marcaram presença o Presidente da Edilidade, Engº Joaquim Barreto, a Vereadora Profª Stela Monteiro, Presidentes de Juntas de Freguesia, Deputados Municipais, encarregados de educação e demais convidados.
Uma iniciativa que resulta do diagnóstico levado a cabo no passado dia 14 de Janeiro por aquela Organização Não Governamental, no Instituto CUF – instituição privada de saúde – no Porto e que contou com o apoio da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto.

Sete crianças de Cabeceiras receberam óculos
Sete crianças de Cabeceiras receberam óculos





Na ocasião foi diagnosticado um grupo de 26 crianças com idades compreendidas entre os 6 e os 16 anos de idade oriundas de meios sociais carenciados. Em sete delas foi detectada a necessidade de usar óculos, foi prescrita a receita e no dia 14 de Fevereiro procedeu-se à sua entrega.
Na ocasião o Presidente da Autarquia enalteceu a iniciativa do promotor Luís Castro, que na primeira acção levada a cabo por esta recém criada ONG, optou por um grupo de crianças de Cabeceiras de Basto, pemitindo-lhes fazer um rastreiro oftalmológico gratuito, prescrever e oferecer os óculos àqueles a quem foram diagnosticados problemas visuais.
Para Luís Castro, jornalista de profissão, que “decidiu dar mais da sua vida às causas sociais”, esta é a primeira acção de muitas que pretende desenvolver. A primeira, contou com a colaboração do Instituto CUF, nomeadamente, do serviço de oftalmologia liderado por Castro Neves. Ao aderir a esta iniciativa o clínico, considerou ainda que ao fazer o rastreio aos menores além de colaborar nesta nobre missão, permite realizar rastreios em oftalmologia a crianças a partir dos quatro anos de idade, o que considerou de suma importância.
De referir ainda que Luís Castro continua a desenvolver contactos com empresas e instituições no sentido de capitalizar fundos para outras acções de solidariedade social, a levar a cabo quer em Portugal, quer nos países de língua oficial portuguesa.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.