Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 23-02-2009

SECÇÃO: Informação

Museu das Terras de Basto foi à escola

Os Jardins-de-Infância e os escolas do primeiro ciclo do Agrupamento de Escolas de Refojos, receberam a visita de técnicos do Museu das Terras de Basto que ali se deslocaram para apresentar a «maleta pedagógica».
Uma iniciativa ao qual se associou o Agrupamento de Escolas de Refojos e que teve como objectivo principal “dar-se a conhecer e dar a conhecer as possibilidades que pedagogicamente os educadores, os auxiliares, os pais e a comunidade educativa em geral podem obter da riqueza imensa de um verdadeiro Museu”.
De referir que a ida do Museu a qualquer espaço educativo é sempre uma divulgação interactiva e sui generis, geradora de descobertas e de informações que de outra forma, raramente se atingem.

O Museu das Terras de Basto apresentou a
O Museu das Terras de Basto apresentou a
É que “no Museu das Terras de Basto, as pessoas contam!” e é neste contexto que se desenvolvem actividades que permitem aproximar o museu à comunidade e desta forma reforçar os laços com essa mesma comunidade.

Um Museu onde as pessoas contam

A visita efectuada às escolas, durante quatro semanas, permitiu apresentar o Museu e a exposição que tem patente ao público referente aos trajes festivos. A selecção de alguns objectos, a própria mala de viagem, sinal da emigração e do conceito de viagem que representa a primeira missão do Museu das Terras de Basto - transversal a todas as exposições apresentadas - nascido e herdando o património de uma antiga estação de caminho de ferro, foram a acção experimentada neste universo escolar, que se revestiu de grande êxito.
A informação que um simples objecto como uma chávena de chá ou um pote que atravessa gerações de utilizadores, assim como uma camisa ou saia, permite recriar um pedaço da história local, contextualizando e exibindo, a fonte que sustenta a informação.
Uma vez contactados, os promotores desta acção, da qual fez parte também uma professora do Agrupamento de Escolas de Refojos e que prontamente “entrou” na recriação histórica, revelaram que no final de cada uma das visitas, não se sai apenas com o agrado da história local, mas com a certeza de que foi transmitida e apreendida a mensagem no que diz respeito à utilidade do Museu.
O Museu das Terras de Basto afigura-se cada vez mais como “um parceiro educativo indispensável” ao alcance de todos.
De referir por fim, que após a dinamização deste projecto junto das escolas, os trajes festivos de Cabeceiras de Basto, ainda que confeccionados em materiais de desperdícios, serviram de mote para algumas turmas desfilarem no Corso Carnavalesco das Escolas.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.