Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 23-02-2009

SECÇÃO: Informação

"A Barragem de Fridão e o Desenvolvimento das Terras de Basto" foi tema de debate

O Auditório Municipal Ilidio dos Santos, acolheu no dia 13 de Fevereiro, uma das conferências mais participativas realizadas no âmbito do Ciclo de Conferências «Políticas de Futuro» que a Autarquia Cabeceirense tem vindo a promover desde 2006. Sob a temática «A Barragem de Fridão e o Desenvolvimento das Terras de Basto», a plateia registou apreço pelo debate de um assunto tão pertinente como actual.
Uma iniciativa que contou com a presença do Dr. António Pacheco Castro, administrador da EDP-Produção, que aqui se deslocou para falar sobre a Barragem de Fridão a construir no Rio Tâmega, próximo da cidade de Amarante, bem como o seu impacto no desenvolvimento das Terras de Basto.

Barragem de Fridão, um tema actual e pertinente
Barragem de Fridão, um tema actual e pertinente
Após a introdução do tema pelo edil Cabeceirense, Engº Joaquim Barreto, o convidado começou por abordar a hidroeléctricidade, o que a EDP tem feito e o que pretende fazer a curto-médio prazo no que se prende com o aproveitamento dos recursos hídricos, a produção de energia de forma a satisfazer os consumidores o mais rapidamente possível. De referir ainda que a EDP Produções está empenhada em produzir energia renovável, ajundando por isso, a atenuar as emissões de CO2.
Além da hirdoelectricidade, foram ainda abordados outros tipos de energia como a solar e a eólica.
Recorde-se que este empreendimento, a levar a cabo pela EDP Produção até 2016, assentou em três factores: ambiental, energético e económico. Terá um potencial nominal na rede de 250 mega watts e produzirá energia superior às necessidades da população dos concelhos de Amarante, Cabeceiras de Basto, Mondim de Basto, Celorico de Basto e Ribeira de Pena. De referir ainda, que a albufeira da barragem de Padroselos, no rio Beça, irá atingir território da freguesia de Gondiães, enquanto que a albufeira de Daivões, no rio Tâmega atingirá territórios das freguesias de Cavez e de Vilar de Cunhas, neste concelho.
EDP disponível para informar
EDP disponível para informar


Complexo Hidroeléctrico do Alto Tâmega


A construção da Barragem de Fridão faz parte do Complexo Hidroeléctrico do Alto Tâmega, onde se prevê também a construção de quatro novas barragens – Gouvães, no rio Louredo; Padroselos, no Rio Beça; Alto Tâmega e Daivões, no Rio Tâmega - a executar entre 2012 e 2018, que completam o desenvolvimento hidroeléctrico da Bacia do Douro. Calcula-se que as quatro barragens venham a produzir cerca de 2.000 giga watts hora ao ano, o que representa cerca de três por cento do consumo eléctrico nacional, respondendo às necessidades de consumo anual de aproximadamente um milhão de pessoas.
As quatro barragens fazem parte do Plano Nacional de Barragens de Elevado Potencial Hidroeléctrico, que prevê ainda, a construção de mais seis barragens, cuja construção contribuirá para reduzir substancialmente a dependência energética do país, para além de contribuirem decisivamente para a redução de emissão de CO2 para a atmosfera.


Barragem de Fridão, um tema actual e pertinente


A construção da «Barragem de Fridão e o desenvolvimento das Terras de Basto», é um tema tão pertinente como actual, que está a suscitar o interesse não só dos Cabeceirenses em particular, como dos habitantes da região de Basto em geral, que nesta assembleia tiveram oportunidade de se informar e de questionar os prelatores convidados, sobre a sua construção e o impacto, social, ambiental e económico que a mesma vai gerar nos próximos anos.
Este empreendimento hidroeléctrico vai ser alvo de um estudo de impacto ambiental,e várias entidades serão consultadas. Na ocasião, a EDP manifestou também total disponibilidade para esclarecer as populações e tirar dúvidas a todos os que individual ou colectivamente queiram saber mais sobre a construção da Barragem de Fridão.
Recorde-se por fim, que este Ciclo de Conferências, tem como objectivo informar, formar e sensibilizar a população para temas tão diversificados como ambiente, turismo, saúde, emprego, entre outros, apresentando-se também como espaços mensais de debate e partilha de conhecimentos.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.