Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 22-12-2008

SECÇÃO: Concelho em acção

Órgãos da Igreja do Mosteiro S. Miguel de Refojos em recuperação

Decorrem a bom ritmo as obras de recuperação dos órgãos do Mosteiro de S. Miguel de Refojos.

O crucifixo também foi alvo de recuperação
O crucifixo também foi alvo de recuperação
Equipas especializadas restauram talhas douradas e policromadas, intrumentos musicais e embelezam estas peças do vasto património que este Mosteiro Beneditino encerra.
Os órgãos do Mosteiro de S. Miguel de Refojos, localizados debaixo de arcos, na altura do coro alto, têm uma altura aproximada de 6 metros e largura de 4,75 m. São constituídos por dois intrumentos, sendo um falso (o do lado esquerdo quem entra) coroado com três estátuas que representam a Religião, o Valor e a Concórdia, que referencia como data de construção o ano de 1771; e um verdadeiro, o do lado direito coroado pelas estátuas da Fé, Esperança e Caridade. As caixas, e provavelmente, todo o coro alto, foram desenhadas por Frei José António Santos Vilaça, que «bebeu» a sua inspiração em estampas alemãs. O construtor destes magníficos órgãos terá sido, Dom Francisco António Solha.

Uma obra ansiada pela população

Órgão já intervencionado
Órgão já intervencionado
Recorde-se que esta execução desta obra resulta de uma candidatura apresentada ao Programa Operacional da Cultura, pela Associação de Municípios do Baixo Tâmega que mereceu aprovação por parte do Ministério da Cultura e que, em 25 de Fevereiro último, a Senhora Ministra da Cultura, Dra. Isabel Pires de Lima, anunciou, no decurso de uma visita a Cabeceiras de Basto.
Uma candidatura que prevê não só a recuperação do órgão do Mosteiro S. Miguel de Refojos, como também do órgão de tubos do Mosteiro S. Gonçalo de Amarante. Uma empreitada que se prevê concluída brevemente.
A recuperação do órgão é uma importante iniciativa que registou o agrado das diversas partes envolvidas, entre as quais a Paróquia de Refojos e a Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto e que mereceu o regozijo da população local, dado tratar-se de uma pretensão há muito reivindicada e que irá certamente contribuir para uma maior e melhor oferta cultural em Cabeceiras de Basto, permitindo a realização de vários concertos, aliás, já previstos na referida candidatura.
Equipas especializadas realizam trabalhos de restauro
Equipas especializadas realizam trabalhos de restauro
Na ocasião da adjudicação, o Presidente da Câmara, Eng.º Joaquim Barreto, referiu o esforço financeiro das Câmaras Municipais que suportam 38% do custo do investimento, que ronda os 547.525 Euros, apesar deste património não ser municipal, o que demonstra bem a atenção que os autarcas dão à recuperação e valorização dos monumentos em geral, e em particular, neste caso, os Mosteiros de S. Miguel de Refojos e de S. Gonçalo. Recorde-se que além desta obra de recuperação do órgão, foram já realizadas um conjunto de intervenções efectuadas nos últimos anos no Mosteiro de S. Miguel de Refojos, destacando-se as intervenções no zimbório, na sacristia, no coro alto, entre outras.

Paróquia de Refojos apoia restauros em curso

No âmbito das obras em curso, no órgão de tubos do Mosteiro de S. Miguel de Refojos, que pressupõe a limpeza da talha, a intervenção na caixa, bem como, a recuperação das peças instrumentais, com o recurso a equipas especializadas, a paróquia de Refojos decidiu também, custear os trabalhos de restuaro do Crucifixo e do varandim do coro alto deste imponente templo beneditino.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.