Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 01-12-2008

SECÇÃO: Cultura

«…e a viagem começou!» no Museu das Terras de Basto

«… e a viagem começou!» é o tema da exposição de fotografia que o Museu das Terras de Basto apresenta ao público até ao próximo dia 22 de Janeiro de 2009. Uma colectânea de 54 imagens a preto e branco que marca a abertura de um novo espaço expositivo no salão «Viajar, Viajar», daquele equipamento cultural do concelho, localizado em Arco de Baúlhe.
Esta exposição, cuja abertura contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Engº Joaquim Barreto, da vereadora da Cultura, Profª Stela Monteiro, do Presidente da Junta de Freguesia de Arco de Baúlhe, Armando Duro, demais autarcas, convidados e população em geral, conta a história da evolução dos primeiros comboios, carruagens e locomotivas, aborda os grandes centros de produção e de importação de máquinas, e também, a evolução da via ferroviária em Portugal.

A inauguração da exposição foi muito participada
A inauguração da exposição foi muito participada

150 anos de Tracção Ferroviária

Esta é a primeira parte de um trabalho efectuado pela Câmara Municipal do Entroncamento e pela Associação dos Amigos do Museu Nacional Ferroviário, entidades que colaboraram com este Município, versando a tracção ferroviária em Portugal ao longo de 150 anos. Um trabalho, cuja segunda parte, será exposta no Museu das Terras de Basto, entre Fevereiro e Abril do próximo ano, abordando esta temática e prolongando-a até à era do TGV.
Esta exposição, que pode ser observada de Terça a Domingo, das 9h00m às 12h30m e das 14h00m às 17h30m, permite assim, partilhar o espaço «Viajar, viajar» deste Museu onde se encontra a carruagem real, com a arte da fotografia abordando os aspectos da vida ferroviária, da vida contemporânea dos comboios, das carruagens e das locomotivas, das linhas e das estações e introduzindo outros olhares sobre o que representa o caminho de ferro num Museu que tem como missão a Viagem.
foto
Na ocasião, o edil Cabeceirense, Engº Joaquim Barreto, realçou a importância deste tipo de iniciativas que conferem dinâmica aos espaços museológicos, aproximando-os das pessoas e colocando o seu espólio ao «alcance das mãos», através da utilização de uma maior variedade de canais de comunicação. Trata-se por isso, de um projecto museológico que partilha com a comunidade, experiências positivas e inovadoras, transportando-a para viagens de conhecimento assentes no passado e projectando-a no futuro.

Museu das Terras de Basto regista mais de 20 mil visitas

Recorde-se que desde a sua abertura em 2004, este Museu, instalado numa antiga estação ferroviária, já recebeu a visita de mais de 20 mil pessoas, reflexo da dinâmica que o Município incrementou neste projecto cultural, ao investir cerca de um milhão de euros e consequentemente, ao manter a conservação e manutenção permanente, ao assegurar a sua abertura de forma graciosa, ao promover exposições temporárias, entre outras acções, que o apresentam como único Museu Municipal numa vasta região.
O autarca referiu ainda que fruto do trabalho desenvolvido, o Museu das Terras de Basto, alcançou em 2005, a Menção Honrosa para o Melhor Museu Português, atribuida pela Associação Portuguesa de Museologia.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.