Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 08-09-2008

SECÇÃO: Cultura

……UM COMPOSITOR

foto
Georg Friedrich Händel

George Friedrich Händel, compositor do período barroco, nasceu no norte da Alemanha, mais propriamente em Halle a 23 de Fevereiro de 1685, filho de um cirurgião-barbeiro e faleceu em Londres a 14 de Abril de 1759.
Händel começou com a paixão pela música desde muito novo, contrariando a vontade do pai que via nele um futuro advogado. Tinha que tocar cravo ás escondidas!
Mediante o grande interesse pela música demonstrado por Händel, o pai teve que rever o seu pensamento e começou então a financiar os seus estudos musicais.
Aos sete anos de idade aprendeu contraponto, composição, violino e oboé. Devido ao sonho paterno Händel acabou por ingressar na Universidade de Halle, onde fez estudos jurídicos e acabou até por doutorar-se em Direito.
Com 11 anos de idade já dominava com grande mestria o órgão e o cravo e começava a dar os primeiros passos na arte da composição.
foto
Em 1703 Händel mudou a sua residência para Hamburgo para se fixar no centro teatral da Alemanha. Ao fim de 2 anos compôs a sua primeira ópera Almira que teve muito êxito. Os lucros obtidos foram grandes o que lhe permitiu a mudança para Itália (1706). Em Roma, Nápoles e Veneza ganhou um grande prestígio como compositor de música sacra, música de câmara, de oratórios e de óperas, onde rivalizou com o grande Alessandro Scarlatti.
Em 1710 regressou à Alemanha onde foi convidado pelo príncipe de Hannover, George Ludwig para desempenhar o lugar de mestre de capela. Esta situação permitiu-lhe deslocar-se a Inglaterra onde compôs a ópera Rinaldo. Händel ficou fascinado pela cultura musical londrina e a partir desta altura começou a dividir o seu tempo ente Hannover e Londres. Em 1714 com a ascensão ao trono inglês do rei George I tornou-se o músico da corte e obteve um grande êxito com as suas óperas.
De regresso a Hannover, em 1717 compôs A Paixão e de imediato retornou a Londres onde compôs o oratório Esther e várias obras sacras. Em 1726 após ser considerado o compositor oficial da corte inglesa naturalizou-se como cidadão inglês.
Em 1728 escreveu a Ópera dos Mendigos que ridicularizava a ópera italiana. A partir dessa altura a sua popularidade começou progressivamente a decrescer e a ser abandonado pelos seus financiadores, o que arrastou vários problemas financeiros.
Em 1737 sofre uma paralisia parcial e passados 2 anos a sua companhia de óperas foi á falência. De 1740 em diante Händel passa a dedicar-se mais á composição de oratórios, e compõe Messias e Judas Macabeus e alcança de novo uma grande popularidade. É atingido por uma cegueira progressiva o que lhe dificulta os últimos anos da sua vida.
O compositor não desanima e continua a trabalhar com organista e com regente dos seus oratórios. Antes da sua morte ainda dirigiu o Messias no convent Garden.
Händel morre em Londres a 14 de Abril de 1759, oito anos após ter ficado cego de um olho e posteriormente de ambos e é sepultado na abadia de West Minister.
Deixa uma obra extensa, que inclui 32 oratórios, 40 óperas, 110 cantatas, 20 concertos, 39 sonatas, obras sacras para missas e obras orquestrais.

OBRAS-PRIMAS

Música litúrgica

1713 Te Deum e Júbilo à Utrecht
1721 Hinos de Chandos
1727 Hinos da Coroação

Ópera

1724 Júlio César
1732 Orlando
1737 Serse

Oratórios

1737 Saul
1739 Israel no Egipto
1741 Messias
1742 Sansão
1747 Judas Macabeus

Música Orquestral

foto
1717 Música aquática
1739 Concertos Grossos Op. 6
1749 Concerto para fogos de artifício

…. UMA MÚSICA

Escolher uma música representativa de Händel é uma tarefa fácil. A escolha cai logicamente em Messias. O Messias é a obra mais famosa de Händel (seguida somente por Música Aquática) e foi concebida para a Páscoa.
De entre muitas versões discográficas do grande Oratório disponíveis no mercado, seleccionei as três versões seguintes:
foto

A
Linn – CKD285
(SACD - 2 discs)

(Tenho esta versão em vinilo, que é um espanto. Claro que é sempre necessário um bom gira-discos com electrónica e colunas a fazer justiça)

B


foto
DG Archiv Originals - 4775904
(CD - 2 discs)

C

DG Archiv – 4770662
(SACD - 2 discs)


© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.