Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 03-03-2008

SECÇÃO: Opinião

Um compositor ……………

foto
Piotr Ilych Tchaikovsky



(1840-1893)

Piotr Ilych Tchaikovsky nasceu em Kamsko-Votkinsk, uma pequena cidade mineira na província de Vyatka, na Rússia, em 7 de Maio de 1840, filho de um engenheiro de minas ucraniano chamado Ilya e de Alexandra, de ascendência francesa.
Piotr apresentava um gosto precoce pela música, mas iniciou a sua carreira profissional como funcionário público. Começou a compor música com apenas cinco anos de idade, mas teria de esperar até ao ano de 1862 para iniciar uma instrução musical séria ao entrar para o Conservatório de São Petersburgo.
Em 1875 apareceram os primeiros grandes êxitos com as duas primeiras sinfonias e o Concerto para Piano nº 1. Em 1877, Tchaikovsky desposou duma maneira muito precipitada Antonina Miliukova, possivelmente numa tentativa de esconder a sua homossexualidade, mas o casamento foi um grande desastre e o compositor tentou matar-se onze semanas após a boda.
Ao longo do resto da sua vida, apesar de ter composto algumas das suas melhores obras, Tchaikovsky entrou num quadro de depressão muito grave até morrer em 1893 após ter ingerido uma dose letal de arsénio.

OBRAS – PRIMAS

Orquestra
1869 Romeu e Julieta
1875 Concerto para Piano n º 1 em Si bemol menor
1876 O Lago dos Cisnes (bailado)
1877 Sinfonia nº 4 em Fá menor
1878 Concerto para Violino em Ré maior
1880 Serenata para Cordas em Dó maior
1885 Sinfonia “Manfred”
1888 Sinfonia nº 5 em Mi menor
1889 A Bela Adormecida (bailado)
1892 O Quebra-Nozes (bailado)
1893 Sinfonia nº 6 em si menor

Ópera

1878 Eugene Oneguin
1890 A Dama de Espadas

Câmara e solo

1876 As Estações para Piano Solo
1890 Souvenir de Florence (sexteto de cordas)

………….. uma música


Apesar de não estar mencionada na listagem das grandes composições de Tchaikovsky, seleccionei a Abertura 1812 por ser uma obra que foi adaptada às Filarmónicas e por isso muito divulgada nas festas religiosas e populares. A Abertura 1812 demonstra uma vasta gama de coloridos efeitos orquestrais, desde a invulgar inclusão de canhões, sinos e o órgão opcional e o arrepiante efeito da orquestra inteira a tocar terríveis escalas descendentes. A Abertura 1812 foi encomendada para se incluir na Exposição Russa de 1882 pelo compositor e pianista Nikolai Rubinstein. A obra seria destinada a comemorar o septuagésimo aniversário da corajosa luta dos Russos contra as tropas napoleónicas na batalha de Borodino em 1812, na qual as tropas do Czar foram derrotadas pelos exércitos de Napoleão Bonaparte que invadiram a Rússia a caminho de Moscovo.
A Abertura 1812 foi primeiramente executada na Catedral de Cristo, o Salvador em Moscovo no ano de 1882. A composição baseia-se num antagonismo entre a inicial vitória francesa e a posterior reviravolta russa. A França é musicalmente representada pelo tem de La Marseilhaise, hino da Revolução Francesa. A posterior vitória russa no mês seguinte, é representada pelo sonoro tocar de canhões.
Na sua forma completa, a peça é executada por coro, orquestra sinfónica e banda militar com auxílio de peças de artilharia e carrilhão. Em ambientes fechados é habitual substituir-se os canhões por tímpanos, a fim de se obter um efeito semelhante ao do disparo das peças.

Das múltiplas gravações desta obra existentes, seleccionei as duas seguintes como as melhores realizadas até à presente data.

foto
Minneapolis Symphony Orchestra & University of Minnesota Brass Band, Antal Dorati
Decca – Originals – 4758508
(CD)
foto


Orchestra e Coro Dell’ Accademia Di Santa Cecilia, Antonio Pappano
EMI – 3700652
(CD)


Maia Ramos



© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.