Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 15-12-2007

SECÇÃO: Concelho em acção

Órgão de Tubos do Mosteiro de S. Miguel de Refojos em recuperação

Encontra-se em recuperação, desde o dia 4 de Dezembro, o Órgão de Tubos da Igreja de S. Miguel de Refojos.
Uma empreitada que representa um investimento de 547.525 Euros, montante onde está incluída também a recuperação do órgão do Mosteiro de S. Gonçalo de Amarante e que a empresa Oficina e Escola de Organaria, Lda., já tem em curso.
Um trabalho minucioso, que obrigou à limpeza e desmontagem deste delicado instrumento musical datado de 1771.

O órgão foi minuciosamente desmontado
O órgão foi minuciosamente desmontado
Recorde-se que a assinatura do auto de consignação decorreu no passado dia 20 de Setembro, no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Cabeceiras de Basto, data em que se concretizou uma pretensão há muito ansiada da população Cabeceirense e a partir da qual se prevê a sua conclusão no período de 14 meses.
De referir ainda que esta obra resulta de uma candidatura apresentada ao Programa Operacional da Cultura, pela Associação de Municípios do Baixo Tâmega que mereceu aprovação por parte do Ministério da Cultura e que, em 25 de Fevereiro último, a Ministra da Cultura, Dra. Isabel Pires de Lima, anunciou, no decurso de uma visita a Cabeceiras de Basto.

Recuperar o património concelhio

foto
O Presidente da Câmara Municipal, enalteceu na ocasião a importância da obra, que permite recuperar este importante património concelhio, que há muito era reivindicado e que irá certamente contribuir para uma maior e melhor oferta cultural em Cabeceiras de Basto, uma vez que permitirá a realização de vários concertos, aliás, já previstos na referida candidatura. O Presidente da Câmara, Eng.º Joaquim Barreto, referiu ainda, o esforço financeiro das Câmaras Municipais que suportarão trinta e oito por cento do custo do investimento, apesar deste património não ser municipal, o que demonstra bem a atenção que os autarcas dão à recuperação e valorização dos monumentos em geral, e em particular, neste caso, os Mosteiros de S. Miguel de Refojos e de S. Gonçalo.
Recorde-se que além desta obra de recuperação do órgão, foram efectuadas várias intervenções no Mosteiro de S. Miguel de Refojos, nos últimos anos, destacando intervenções no zimbório, sacristia, coro alto, entre outras. Ao que apuramos a Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto continua a trabalhar com a Direcção Geral dos Monumentos Nacionais para a criação, num futuro próximo, do Museu de Arte Sacra, continuando a preservar e a valorizar o espólio deste monumento Cabeceirense.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.