Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 31-10-2007

SECÇÃO: Região

PISCINA MUNICIPAL REABRE COM CARA LAVADA E MELHORES CONDIÇÕES

Após conclusão das obras de conservação e melhoramento desenvolvidas em grande parte durante o período das férias escolares de Verão, reabriu recentemente ao público a Piscina Municipal de Cabeceiras de Basto, apresentando-se agora aos utentes com uma nova imagem, de cara lavada e melhores condições de funcionalidade e qualidade. Obras de grande vulto, refira-se, que, segundo apurámos, se tornavam necessárias e indispensáveis devido à degradação resultante da alta percentagem de humidade e constantes variações térmicas a que este tipo de estruturas e equipamentos estão sujeitos.

Obras de vulto

foto
Ao nível da estrutura física do edifício, os trabalhos incidiram na impermeabilização da cobertura, com substituição das telas de isolamento e colocação de gravilhas térmicas, na pintura das paredes interiores e exteriores, na pintura das janelas, portas, grades e caixilharias metálicas e de madeira, na substituição de tubagens das conduta de água e aquecimento e na colocação de novos chuveiros nos balneários; Mas o maior investimento resultou, sem dúvida, da instalação de novos equipamentos de alta tecnologia para o controle de funcionamento e da qualidade da água, o que faz com que, no presente, esta piscina coberta e de água aquecida seja das mais bem equipadas do norte do país.
Inaugurada em 20 de Setembro de 1997 pelo então Ministro do Equipamento, Planeamento e da Administração do Território, Eng. João Cravinho, e tida à época como a obra-prima do mandato, por se tratar da primeira piscina coberta da região, este equipamento municipal tem prestado ao longo da última década um valioso contributo à população do concelho, quer a nível desportivo, quer a nível do lazer e da saúde.

Custos de funcionamento são elevados

foto
Trata-se, contudo, de um equipamento cuja funcionalidade e manutenção acarreta custos sociais muito elevados, que têm sido inteiramente suportados pela Câmara Municipal, sendo que a despesa mensal média ronda o valor de 12.000€, a que se contrapõe uma receita de apenas cerca de 3.000€. Gerida nos últimos anos pela empresa municipal Emunibasto que dispõe de professores qualificados para o ensino e apoio à natação, a sua utilização varre todos os grupos sociais e escalões etários, desde as crianças de tenra idade até aos mais idosos, com uma procura sempre em “crescendum”, com números que no ano em curso atingem uma média de 2.000 utentes/mês.

Sábados – o dia mais disponível

O horário de abertura ao público em dias úteis, é das 15h30 às 20h30, sendo que aos Sábados dispõe de dois turnos, um de manhã e outro de tarde (ver caixa). Refira-se, porém, que a capacidade de exploração deste importante equipamento está longe de atingir o seu limite, sobretudo aos Sábados, dia em que a população em geral terá maior disponibilidade para usufruir das vantagens da natação em água aquecida, não só como actividade desportiva, mas também como terapia para a manutenção do equilíbrio físico e da saúde.


OS NÚMEROS

Data da Inauguração:
20 de Setembro 1997

Horário de funcionamento:

Dias úteis:
15h30 – 20h30

Aos Sábados:
10h00 - 12h30
15h30 -18h30

Média
Utentes/mês:
2.000

Despesa de funcionamento:
Média mensal:
· 12.000€ /Mês

Receitas:
Média mensal:
· 3.000€ / Mês

AULAS DE NATAÇÃO

· Para crianças do 3 aos 5 anos;
· Para crianças dos 6 aos 12 anos;
· Para maiores de 13 anos e adultos;
· Para a terceira idade.

HIDROGINÁSTICA
· Para adultos

NATAÇÃO LIVRE
· Para todos

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.