Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 31-10-2007

SECÇÃO: Região

Pela Câmara
Autarquia cria novas condições para o desenvolvimento do concelho

Sob a presidência do Eng.º Joaquim Barreto reuniu no passado dia 25 de Outubro, no edifício dos Paços do Concelho a Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto.
Segundo informação divulgada, dos assuntos tratados, o destaque foi para a decisão do executivo municipal de aprovar as condições gerais de venda de uma parcela de terreno com área de 56.800m2, em Vila Nune. Trata-se de um terreno destinado à instalação, em Cabeceiras de Basto, de uma indústria de produção de energia através do aproveitamento de resíduos florestais de uma vasta região. De referir que uma indústria desta natureza irá certamente contribuir não só para a diminuição da dependência energética externa, como valorizar o potencial energético ao nível dos resíduos florestais, permitir a criação de condições para que os proprietários e agentes florestais procedam à limpeza das matas e desta forma contribuir também, para o cumprimento das metas ambientais nacionais.

Cabeceiras de Basto
Cabeceiras de Basto
Localizada nas imediações do nó da auto-estrada A7, esta parcela de terreno, segundo informação divulgada, integra uma área de 81.500m2, destinada à criação de uma zona industrial, que a Autarquia adquiriu, no passado dia 10 de Outubro, ao Conselho Directivo de Baldios de Vila Nune.

Planos Urbanização do Arco de Baúlhe e de Refojos seguem para publicação em Diário da República

Nesta reunião, o executivo municipal decidiu ainda remeter para publicação em Diário da República, os Planos de Urbanização da vila de Arco de Baúlhe e de Refojos.
A Câmara Municipal de Cabeceiras fez saber, que tem vindo de alguns anos a esta parte a desenvolver um importante trabalho ao nível do planeamento e do ordenamento do território onde se pretende intervir, tendo em vista contribuir para o desenvolvimento local integrado e sustentado do concelho.
Arco de Baúlhe
Arco de Baúlhe
De salientar ainda que o plano de urbanização define a organização espacial de determinada parte do território municipal, incluída em perímetros urbanos, prosseguindo o equilíbrio da composição urbanística e estabelecendo, entre outros, a concepção geral da organização urbana, a partir da qualificação do solo, definindo a rede viária estruturante, a localização de equipamentos de uso e interesse colectivo, a estrutura ecológica, bem como o sistema urbano de circulação de transporte público e privado e de estacionamento; a definição do zonamento para localização das diversas funções urbanas, designadamente habitacionais, comerciais, turísticas, de serviços e industriais, bem como identificação das áreas a recuperar ou reconverter; a adequação do perímetro urbano definido no plano director municipal em função do zonamento e da concepção geral da organização urbana definidos.
Ao concluir a elaboração dos planos de Urbanização do Arco de Baúlhe e de Refojos, a Câmara Municipal adiantou à imprensa que concretiza assim, dois dos objectivos previstos no Plano de Actividades e Orçamento aprovado para o presente ano de 2007, indo de encontro às dinâmicas que se verificam nestes dois importantes centros urbanos concelhios.
Em curso encontra-se ainda o processo de revisão do Plano Director Municipal, a elaboração do Plano de Urbanização de Cavez, assim como a revisão do Plano de Pormenor da Quinta do Mosteiro, na vila sede do concelho.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.