Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 15-09-2007

SECÇÃO: Região

VARIANTE QUE LIGA O ARCO DE BAÚLHE A CABECEIRAS ENTROU EM FASE DE CONSTRUÇÃO

O Secretário de Estado das Obras Públicas e Comunicações, Dr. Paulo Campos, homologou o auto de consignação que garante a construção da nova variante que liga o Arco de Baúlhe à sede do concelho. Um investimento de vinte milhões de euros, que se prevê concluído em 2008.
O Secretário de Estado das Obras Públicas e das Comunicações, Dr. Paulo Campos, deslocou-se no dia 7 de Setembro, a Cabeceiras de Basto para presidir à cerimónia de assinatura do auto de consignação da obra da Variante às EENN 205 e 210, em Arco de Baúlhe.

foto
Trata-se de uma via rápida adjudicada em Julho último pela EP- Estradas de Portugal, com cerca de 4 km de extensão, que vai ligar o Nó da Auto-estrada (A7) à sede do Município e que representa um investimento na ordem dos 18.125.800,00 Euros a que se somam mais 2,3 milhões referente às expropriações, perfazendo assim um total na ordem dos vinte milhões de euros.
A variante é uma obra, cuja construção se reveste de grande importância para o desenvolvimento do concelho de Cabeceiras de Basto, já que garante a segurança e a qualidade de vida das pessoas, nomeadamente, na Vila de Arco de Baúlhe. Isto porque, a sua construção, no prazo de 15 meses, vai contribuir para diminuir a distância e o tempo entre o principal centro do Concelho e a Auto-Estrada; para uma maior dinâmica empresarial, já que tem o seu termo junto aos Parques Industriais (Lameiros e Olela); servir e favorecer a sede do Concelho e as freguesias mais isoladas situadas a Norte, bem como, alguns lugares das freguesias de S. Clemente e Ribas no Concelho de Celorico de Basto; facilitar a circulação de viaturas e dos cidadãos, no centro da vila do Arco de Baúlhe, bem como, aumentar a segurança das pessoas, nomeadamente os alunos da EB 2,3 do Arco.
Os representantes da Empresa Estradas de Portugal e da construtora Mota Engil assinaram publicamente o auto de consignação da Variante,  obra agora em curso homologada pelo Sr. Secretário de Estado
Os representantes da Empresa Estradas de Portugal e da construtora Mota Engil assinaram publicamente o auto de consignação da Variante, obra agora em curso homologada pelo Sr. Secretário de Estado

Desenvolvimento e coesão terriotorial

Na cerimónia de assinatura do auto de consignação, que teve lugar no Salão Nobre dos Paços do Concelho e onde estiveram presentes autarcas, técnicos e população em geral, para assistir ao culminar de um processo que agora é posto em prática com o início dos trabalhos de construção desta importante via, o Secretário de Estado das Obras Publicas salientou o facto da obra corresponder ao desafio do desenvolvimento e da coesão territorial. Por outro lado, referiu que desta forma, além de estar a cumprir promessas feitas, está também a contribuir para evitar a sinistralidade e melhorar a vida de todos os que vivem e passam em Cabeceiras de Basto.
Na sua intervenção este membro do Governo salientou o facto de a escassez de recursos, determinar que os investimentos na rede viária sejam mais ponderados e hierarquizados, tendo pesado na balança da decisão o contributo para reduzir a sinistralidade, bem como facilitar a circulação de viaturas e de cidadãos.
Destacou ainda o facto de o distrito de Braga ser o único que tem o pleno cumprimento dos investimentos previstos no Plano Rodoviário Nacional que tem uma média nacional de execução na ordem dos 60 por cento. «Aqui andamos mais depressa, mas ainda bem, porque não há nada mais reconfortante para um governante do que ver concretizados os anseios das populações», referiu.

Acesso rápido e seguro

Recorde-se que aquando do encerramento da linha férrea do Tâmega, em 1989, as câmaras municipais envolvidas apenas protocolaram a construção da variante do Tâmega, entre Amarante e o Arco de Baúlhe, ficando de fora a ligação à sede do concelho de Cabeceiras de Basto.
Perante isto, em 2001, a Câmara iniciou um processo junto do Governo que tinha como objectivo a construção de um «acesso rápido e seguro» capaz de ligar o nó da auto-estrada até à sede da vila e retirar o trânsito do centro da vila arcoense. O edil, Joaquim Barreto, referiu na ocasião, que a assinatura deste auto concretizou uma aspiração de sete anos, num processo sinuoso com ventos contrários, mas que finalmente está a concretizar-se.
O autarca agradeceu o cumprimento desta promessa governamental e considerou este investimento de grande importância para o desenvolvimento do concelho, bem como para os parques industriais de Olela e Lameiros. Por outro lado serve para favorecer a sede do concelho e as freguesias mais isoladas situadas a Norte e ainda as freguesias de S. Clemente e Ribas, do concelho de Celorico de Basto.
Joaquim Barreto disse por fim, que a obra vai contribuir também para o desenvolvimento económico da região, já que terá um estaleiro permanente com 150 camas, que no pico dos trabalhos chegará aos 200 trabalhadores em simultâneo.
O autarca não perdeu a oportunidade e lembrou a necessidade de avançar com a construção da Variante do Tâmega, já que a construção do troço entre o Arco de Baúlhe e Celorico de Basto é fundamental para a coesão da região de Basto e sobretudo para Mondim de Basto.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.