Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 15-06-2007

SECÇÃO: Desporto

foto
Eleições no Atlético Cabeceirense

Realizaram-se no passado dia 6 de Junho, as eleições para os órgãos sociais do Atlético Cabeceirense (AC) para a temporada 2007/2008, reunindo-se para o efeito, os seus associados em assembleia geral.
Por ter acompanhado todas as assembleias gerais, efectuadas nos últimos 10 anos, constatei que esta foi a mais participada.
Todos os sócios ficaram a saber o estado de saúde do clube e o diagnóstico não é nada positivo. O clube deve na sua totalidade 273.000 euros (sim, duzentos e setenta e três mil euros, acumulados na última meia dúzia de anos). Depois de ter conhecimento desta situação no primeiro ponto da assembleia, dei comigo a pensar, que, certamente, não iria aparecer alguém para presidir ao destino do clube.
Mas, eis que surge alguém, com vontade de dar um safanão na crise. Nada mais nada menos que um antigo atleta e fervoroso sócio do clube, António Bastos, que depois de eleito presidente da nova direcção, respondeu a quem o interpelou sobre o futuro das várias equipas de futebol. Vamos fazer uma equipa com jogadores da terra e se o clube descer, desceu, mas apostaremos na formação.
Confesso que achei esta resposta uma das coisas mais positivas que se fez nos últimos anos pelo clube, ao fim e ao cabo estava a assumir que o clube, não tinha dinheiro para o nível de vida que levava, e cada dia mais nesse sentido, seria sempre para piorar a situação.
Pela vontade demonstrada, o novo Presidente, deve ser apoiado por todos e bem precisa. A missão é espinhosa e recordo aqui, que tem toda a legitimidade para fazer o que muito bem entender na duração do seu mandato, para isso foi eleito pelos sócios presentes na assembleia geral.
Neste momento o clube tem duas equipas de formação, juvenis e juniores, quando se pensa fazer uma equipa com jogadores da terra, terá que se analisar muito bem se os adeptos compreenderam o que se possa vir a passar em termos de resultados, até porque estão habituadas a associar o nome do ATLÉTICO CABECEIRENSE, ÁS VITÓRIAS.
A minha opinião é a de que ter equipa de seniores, só por ter e correr o risco de vulgarizar o clube pelos distritais, será, continuar A crucificar o clube ainda mais. Ou há condições para ter uma equipa competitiva, ou então e esta é a opinião de muita gente que gosta a sério do clube, talvez o clube devesse parar com o futebol sénior durante 2,3 anos, dedicando-se durante esse período á formação de jovens futebolistas. Escolinhas, iniciados, juvenis e juniores (juvenis e juniores que poderiam jogar alternadamente ao domingo á tarde e certamente com mais adeptos a assistir do que os actuais) envolvendo os seus familiares à volta do clube e aí sim, o clube ganharia outra dinâmica. Recordo que clubes com grande historial no futebol Português, fizeram o mesmo, o maior exemplo de todos será o SC FARENSE, parou com o futebol sénior durante 2 anos e Faro não deixou de ser a capital do turismo em Portugal.
Saber esperar, talvez seja a solução para o futuro do ATLÉTICO CABECEIRENSE, até porque o clube já desceu faltando só apostar na formação.

Os novos Órgãos Sociais

Assembleia-geral
Presidente – António Fernando Ferreira Basto
Vice-presidente – Dr. Serafim China Pereira
Secretário – Luís Fernando Pereira Ribeiro

Direcção
Presidente – António Augusto Teixeira Basto
Vice-presidente – Álvaro Manuel Sousa Gomes
Secretário – Jaime Pereira Pacheco
Tesoureiro – José Pereira de Oliveira
Vogais – Manuel Leite Martins, João Pedro Castro Mendes, Joaquim Oliveira Alves, Agostinho Teixeira Lima Ramos

Conselho Fiscal
Presidente – Sérgio Bernardino Teixeira Basto
Secretário – João Teixeira Basto
Relator – Bernardino Carvalho Ferreira

Por: António Correia

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.