Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 15-03-2007

SECÇÃO: Região

PS acusa PSD de fazer oposição pobre e enfadonha

COMUNICADO
Ao analisar a situação política local, o Secretariado do Partido Socialista de Cabeceiras de Basto, ciente da sua responsabilidade enquanto força política maioritária nos órgãos do Município e nas Juntas e Assembleias de Freguesia, decidiu tornar público, no dia 8 de Março, o seguinte comunicado:
Como é manifestamente reconhecido pela população deste concelho e do público em geral bem informado, o PSD de Cabeceiras de Basto tem exercido, ao longo dos últimos tempos, uma oposição pobre, enfadonha, destituída de qualquer iniciativa séria e credível.
Até hoje, o PSD não apresentou na principal Autarquia Cabeceirense uma única proposta construtiva, qualquer projecto alternativo à estratégia de desenvolvimento que tem sido seguida, ou sequer uma sugestão sensata e útil para a vida municipal.
Prova disso é o comportamento da actual Comissão Política do PSD de Cabeceiras de Basto que, de uma forma tonta e desorientada, resolveu, nas últimas semanas, lançar uma autêntica pirotecnia de comunicados tendo como alvo o Presidente da Câmara e atacando, ao mesmo tempo, instituições e pessoas de bem deste concelho, que apenas cometem o “crime” de trabalhar e oferecer todo o seu empenho e dedicação à causa do voluntariado e do associativismo, como é o caso dos Bombeiros Voluntários Cabeceirenses e da ADIB – Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto, que o PSD insultou e maltratou.
A presença do Secretário-Geral do PSD, Dr. Miguel Macedo, em Cabeceiras de Basto, na semana passada, para reunir com militantes do partido, bem poderia ter servido para reciclar e ensinar boas práticas políticas aos seus dirigentes locais. Verificamos, porém, que tal não aconteceu e, pelo contrário, o Dr. Miguel Macedo, que também é deputado à Assembleia da República, mal informado e deixando-se influenciar por aqueles, proferiu afirmações hilariantes e falsas de conteúdo.
Sobretudo quando comentou o caso da Junta de Freguesia de Passos e da Construção da Unidade de Internamento do Centro de Saúde e do Palácio da Justiça de Cabeceiras de Basto.
No primeiro caso, o assunto corre em Tribunal, através de recurso apresentado pela Câmara Municipal, aguardando-se uma decisão final sobre as dúvidas suscitadas pela ocupação de um espaço do edifício que é propriedade do Município.
Quanto às outras duas questões, bem poderia o Dr. Miguel Macedo estar calado e tornear o incómodo de as trazer à liça, pois que os governos do PSD, dos quais fez parte, chegando a ser num deles o próprio Secretário de Estado da Justiça, esqueceram estas duas obras há muito reclamadas pelos Cabeceirenses. Ou seja, um dos responsáveis pelo atraso das construções da Unidade de Internamento do Centro de Saúde e do novo Palácio da Justiça é o mesmo que vem agora verter “lágrimas de crocodilo” pensando que engana as populações ou que estas não têm memória, já que pertencia ao governo do PSD.
Como é do conhecimento público, foi o actual Governo de José Sócrates, quem decidiu avançar com as obras, entretanto já iniciadas, da nova estrutura de saúde e programou no PIDDAC para 2007 verbas para o arranque da construção do Palácio da Justiça, equipamentos, sem dúvida, importantes para o desenvolvimento deste concelho e que tem sido uma exigência do nosso Presidente de Câmara, Eng.º Joaquim Barreto.
Ainda nesse arraial e foguetório de vista de comunicados públicos, o PSD atreve-se a “exigir coerência e exemplo ao PS” a propósito de um processo judicial em curso intentado pelos próprios “laranjas” de Cabeceiras de Basto, desafiando à suspensão do mandato do Presidente da Câmara, misturando desta forma “alhos com bugalhos” e comparando o comportamento dos vereadores do PSD da Câmara Municipal de Lisboa onde estalou, recentemente, uma crise através de acusações graves de corrupção.
Não só os casos não são comparáveis, como, igualmente, o facto de um qualquer detentor de cargo político ser alvo de processo judicial pode obrigar à sua demissão. De contrário o PSD tem que pedir de imediato a suspensão do mandato do seu Presidente, Dr. Marques Mendes, dado que é alvo de um processo crime e, ainda, do vereador da Autarquia de Cabeceiras de Basto, Francisco Basto, dado que é réu/arguido em processo judicial.
A demagogia e a mentira em política dão sempre mau resultado, para além da péssima imagem que passa de quem usa tal método.
O PS de Cabeceiras de Basto não pode fazer mais que não seja lamentar o estado a que chegou a oposição do PSD, bem à imagem da dupla Dr. Marques Mendes/Dr. Miguel Macedo.
Os socialistas deste concelho são responsáveis e sabem o que fazer para levar por diante o seu projecto de tornar cada vez melhor esta terra.
Vamos continuar a trabalhar e a empenhar-nos em prol de Cabeceiras de Basto e das suas populações.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.