Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 28-02-2007

SECÇÃO: Região

FESTA DA ORELHEIRA E DO FUMEIRO UM ÊXITO RENOVADO

Meia centena de expositores, milhares de visitantes e várias toneladas de produtos comercializados, foi o balanço da 11º edição da Festa da Orelheira e do Fumeiro, que durante quatro dias promoveu os saberes e os sabores da Região.

O Presidente da Câmara cumprimenta os produtores/expositores
O Presidente da Câmara cumprimenta os produtores/expositores
A décima primeira edição da Festa da Orelheira e do Fumeiro de Cabeceiras de Basto, que teve lugar neste concelho de 16 a 19 de Fevereiro, chegou ao fim com um balanço positivo registando o agrado dos produtores de fumeiro, dos expositores de outros produtos locais, como o mel, os doces regionais e o artesanato, bem como, das quatro instituições concelhias cuja actividade se relaciona com o desenvolvimento rural. Com um total de 51 expositores, este certame foi, segundo informação divulgada, visitado por mais de trinta mil pessoas provenientes de vários pontos do país.
A iniciativa promovida pela Câmara Municipal e organizada pela Empresa Municipal Emunibasto, constitui há já alguns anos, uma oportunidade para promover e divulgar os produtos locais, nomeadamente os produtos derivados do porco, com destaque para as orelheiras, os presuntos, os salpicões e restantes enchidos como as alheiras, as linguiças e uma grande variedade de chouriços, entre outros.

Promover e valorizar os produtos locais
O público acorreu aos milhares ao Pavilhão Gimnodesportivo
O público acorreu aos milhares ao Pavilhão Gimnodesportivo

Ao promover este tipo de certames, a Autarquia tem como objectivo contribuir para a preservação dos produtos genuínos, potenciando a agricultura tradicional, que, ao comercializá-los possibilita a muitas famílias do meio rural um complemento financeiro significativo. “Confirmaram-se as expectativas iniciais ao serem comercializados mais de 7.500 kg de carne fumada o que representou um volume de facturação muito próximo dos 80 mil euros, tal como o previsto” referiu nota informativa da Câmara.
No espaço da Festa da Orelheira e do Fumeiro a organização promoveu igualmente a gastronomia local com origem nos sabores do porco, mas também o vinho verde da região, os doces, o mel, o pão caseiro confeccionado com milho e centeio, do qual foram vendidos centenas de quilos, assim como, o artesanato local, respectivamente, a tapeçaria, as alfaias agrícolas habilmente confeccionadas em madeira e os laboriosos trabalhos confeccionados em linho. A promoção gastronómica esteve ainda presente em alguns dos restaurantes do concelho que aderiram à iniciativa, incluindo nas suas ementas pratos preparados com estes produtos locais.
O leilão da orelheira constituiu um espectáculo de grande animação
O leilão da orelheira constituiu um espectáculo de grande animação

Programa de animação atraiu numeroso público

Do programa de animação constou a realização de várias iniciativas que prenderam a atenção dos milhares de visitantes. Logo no primeiro dia, o destaque foi para a actuação dos grupos etnográficos e folclóricos concelhios, Grupo D. Nuno Álvares, de Pedraça e Rancho Folclórico de S. Nicolau – Cabeceiras de Basto, respectivamente. De salientar ainda, as tocatas de concertina, acordeão e cavaquinhos que animaram o espaço do certame, bem como a revista à portuguesa “Isto é que é uma alegria” e, a encerrar o segundo dia de festa, a espectacular actuação da acordeonista Ana Sofia Campeã. No Domingo Gordo de Carnaval, realizou-se o já tradicional leilão das orelheiras numa recriação do tradicional leilão em honra de Sto António, outrora realizado no final da missa dominical em várias aldeias e freguesias do concelho.
O folclore foi um complemento que deu mais sabor à festa
O folclore foi um complemento que deu mais sabor à festa
A animação musical, da qual se destacaram os cantares ao desafio, tocadores de concertinas e acordeão promovidos pelo grupo “Os amigos de Guimarães” e pelos tocadores e cantadores desta região, assim com, o folclore das margens do Rio Uíma, de Sta Maria da Feira, proporcionaram momentos de grande alegria e verdadeira festa.
A décima primeira edição desta iniciativa, que contou com a colaboração da Mútua de Basto, da Cooperativa Rural Basto e da Probasto, terminou com os cestos vazios e a satisfação quer dos expositores, quer da organização, pelo volume de vendas registado e pela forma como decorreram todas as actividades programadas que contribuíram para o êxito alcançado com a realização desta Festa da Orelheira e do Fumeiro que, mais uma vez, projectou os produtos locais e as potencialidades do concelho de Cabeceiras de Basto.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.