Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 15-02-2007

SECÇÃO: Golpe de vista

Um Partido, Duas Vozes

Não raras vezes tem-se verificado que no PSD, principal partido da oposição de Cabeceiras de Basto, os representantes legitimamente eleitos, assumem uma determinada postura nos órgãos autárquicos em que têm assento, para logo a seguir a Comissão Política local, através de comunicações diversas, seja na imprensa escrita ou na rádio, anunciar posições antagónicas.
Aconteceu já várias vezes que as propostas apresentadas pelo Partido Socialista, na Câmara Municipal e na Assembleia Municipal, mereceram o voto favorável dos vereadores e “deputados” social-democratas e a estrutura partidária, pela voz do seu mais alto responsável, veio depois a público insurgir-se contra aquelas propostas defendendo outras soluções.
Ficamos intrigados com esta atitude. De facto, o que se pode esperar de um partido na oposição? Se o projecto é pessoal, com certeza podemos esperar qualquer coisa. Se o projecto tem como ideal primeiro o desenvolvimento da nossa terra, então espera-se uma oposição responsável que defende as suas ideias e projectos a uma só voz, seja na “rua” ou nos ógãos próprios onde representam os eleitores que os elegeram, isto é nas Assembleias de Freguesia, na Assembleia Municipal ou na Câmara Municipal.
Há poucos dias, esta situação repetiu-se mais uma vez. Os vereadores do PSD votaram favoravelmemnte o apoio financeiro que o Partido Socialista propôs para os Bombeiros Cabeceirenses adquirirem uma nova ambulância, e a Comissão Política laranja emitiu um comunicado criticando este apoio. Enfim!
A ser verdade o que disse o presidente da Comissão Política do PSD, em Abril de 2006, aquando da sua eleição – «quando o PSD disser que o voto é num sentido, se houver um militante que disser e votar o contrário terá o meu convite para abandonar», adivinham-se muitos convites ao abandono do Partido. Falta saber se os militantes aceitam esses convites.
Já agora, a propósito do Referendo sobre a Interrupção Voluntária da Gravidez, o Partido Social Democrata Nacional não assumiu posição oficial, mas em Cabeceiras de Basto o PSD local assumiu publicamente o voto no NÃO.
Sinais!!!
Um Partido, duas Vozes?

Por: A.C.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.