Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 31-01-2007

SECÇÃO: Região

Desemprego no distrito de Braga sofre variação

Ao findar o ano de 2006, o distrito de Braga voltou a ver o desemprego a descer em relação ao mês anterior, o mesmo sucedendo a nível nacional, facto considerado positivo.
Dados estatísticos, referentes ao mês de Dezembro, revelam que as ofertas de emprego continuam em número significativo indicando uma melhoria, mesmo que ligeira das actividades económicas na Região.

foto
Ao nível dos concelhos, o que regista maior nível de desemprego é Guimarães (12.129), igual ao verificado no mesmo mês do ano de 2005 (12.089).
O ano de 2006, apresentou uma melhoria significativa no distrito ao nível do desemprego, baixando de 50.838 para 47.990, ou seja, menos 2.848 desempregados, facto que representa uma descida de 6 por cento.
Por outro lado, esta descida verifica-se praticamente em todos os itens, respectivamente o 1º emprego (com menos 3 por cento); procura de novo emprego (menos 6 por cento); desempregados abaixo dos 25 anos de idade (menos 18 por cento); desempregados acima dos 25 anos de idade (menos 4 por cento); desempregados há mais de 12 meses (menos 12 por cento); desempregados do sexo masculino (menos oito por cento); desempregados do sexo feminino (menos 4 por cento); sendo o único índice que subiu o do desemprego há mais de 12 meses (com mais 2 por cento).
Quanto aos desempregados com formação superior verifica-se um aumento percentual em relação ao ano anterior, mas os níveis absolutos são claramente baixos em relação aos desempregados com baixos níveis de escolaridade.
Os dados estatísticos divulgados, revelam ainda que todos os concelhos do Distrito, com excepção de Amares (+ 1%) e Guimarães viram descer os níveis de desemprego. As maiores descidas registam-se na Póvoa de Lanhoso ( - 14%), Vila Nova de Famalicão (-11%), Vieira do Minho (-11%), Cabeceiras de Basto (-11), Fafe (- 11%) e Celorico de Basto (-9%). O distrito no seu conjunto, e tal como já referimos, registou um decréscimo na ordem dos 6 por cento.
Podemos ainda acrescentar que as ofertas de emprego em 2006 atingiram as 13.656, indicador claramente superior às do ano anterior, ficando as colocações somente nas 4.302 pessoas, quando o nível de desemprego ainda é elevado nesta região.
Outra nota a realçar é que, por grupos profissionais, a oferta de emprego ainda é muito influenciada para a área de menor especialização, embora os outros grupos comecem a registar ligeiras subidas.
Desemprego no Concelho de Cabeceiras de Basto (DEZ-2006)
Desemprego no Concelho de Cabeceiras de Basto (DEZ-2006)
Em Cabeceiras de Basto

No concelho de Cabeceiras de Basto e após análise dos dados estatísticos vindos a público, verifica-se um decréscimo de 11 por cento dos desempregados em relação ao mesmo período do ano anterior. Ou seja, o concelho dispõe de 1.160 desempregados, sendo que 161 estão à procura do primeiro emprego, 999 à procura de novo emprego, 205 têm idade abaixo dos 25 anos de idade, 955 acima dos 25 anos de idade. De salientar ainda que se regista um número de desempregados do sexo masculino inferior ao número de desempregados do sexto feminino, sendo de 359 em relação a 801, respectivamente.
São dados estatísticos que nos dão a conhecer as flutuações do emprego nesta região e através do qual se regista uma evolução positiva no panorama socio-económico, que terá de ser consolidado com a concretização das perspectivas de crescimento económico.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.