Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 15-01-2007

SECÇÃO: Espaço Europeu

Ambiente
Reduzir as emissões de dióxido de carbono

A Comissão Europeia propôs um conjunto de medidas destinado a lançar uma nova Política Europeia da Energia. Esta nova política tem como objectivos essenciais combater as alterações climáticas e reforçar a segurança energética e a competitividade do sector da energia na União Europeia.

foto
Para já, a Comissão propõe que a União Europeia se comprometa a reduzir as suas emissões de dióxido de carbono (gases com efeito estufa) em, pelo menos, 20% até 2020. Caso se alcance um acordo internacional para o período posterior a 2012, essa percentagem poderá subir até aos 30%.

Números:
· A União Europeia (UE) está cada vez mais dependente das importações de energia. Se a produção interna de energia não for mais competitiva nos próximos 20 a 30 anos, 70% – contra os actuais 50% – das necessidades energéticas da UE serão cobertas por produtos importados, alguns deles provenientes de regiões ameaçadas pela insegurança.
· As reservas estão concentradas num pequeno número de países. Actualmente, cerca de metade do consumo de gás da UE provém apenas de 3 países (Rússia, Noruega e Argélia). Se persistirem as tendências actuais, as importações de gás poderão atingir os 80% nos próximos 25 anos.
· A procura global de energia está a aumentar. Prevê-se que a procura energética mundial – e as emissões de CO2 – aumentem cerca de 60% até 2030.
foto
· O clima está a aquecer. De acordo com o Painel Intergovernamental sobre Alterações Climáticas (IPCC), as emissões de gases com efeito de estufa já aumentaram em 0,6°C a temperatura do globo. Se nada se fizer, haverá um aumento de 1,4 a 5,8°C até ao final do século. Todas as regiões do mundo – incluindo a UE – terão de enfrentar graves consequências para as suas economias e ecossistemas.

O que podemos fazer:

A mudança do clima é um problema global e, no entanto, cada um de nós pode fazer a diferença. Mesmo as mais pequenas alterações na nossa rotina diária podem ajudar a evitar as emissões de gases de efeito de estufa sem afectar a nossa qualidade de vida. Na realidade, podem até representar uma poupança de dinheiro.
· É sensato mudar para lâmpadas económicas: se utilizar apenas uma, pode reduzir os seus custos com a iluminação em até 60 euros e evitar 400 kg de emissões de CO2 durante toda a vida útil da lâmpada - e estas duram até 10 vezes mais que as lâmpadas normais. As lâmpadas económicas são mais caras no acto da compra mas acabam por ser mais económicas ao longo de todo o seu tempo de vida útil.
· Um bom sistema de isolamento é uma das formas mais eficazes de reduzir as emissões de CO2 e de poupar energia a longo prazo. A perda de calor através das paredes, telhado e pavimento é habitualmente mais de 50% da perda de calor global. Isole os seus depósitos de água quente, os canos do aquecimento central, bem como as cavidades das paredes, e coloque película de alumínio por trás dos radiadores.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.