Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 15-01-2007

SECÇÃO: Região

DEMOCRACIA EXIGE SERIEDADE E SENTIDO DE RESPONSABILIDADE
Basta de demagogia e invenções do PSD

No fecho desta edição chegou à redacção deste jornal um comunicado emitido pelo Partido Socialista de Cabeceiras de Basto que a seguir damos à estampa:

"Nos últimos tempos o PSD do nosso concelho, com alguma periodicidade, tem marcado a sua actividade política através de comunicados distribuídos à imprensa, onde a principal preocupação é o maldizer e o bota-abaixo. Verifica-se assim, que estamos perante um vazio de ideias e de projectos bem demonstrativo da imagem que melhor caracteriza a actual direcção do PSD de Cabeceiras de Basto, representada pelos seus Presidentes da Mesa da Assembleia e da Comissão Política, respectivamente Profº. Mário Leite e Francisco Magalhães.
Esperávamos nós e os Cabeceirenses que o PSD, enquanto “principal” partido da oposição, apresentasse nas reuniões dos órgãos próprios (da Câmara, da Assembleia Municipal e das Assembleias de Freguesia) propostas construtivas e alternativas às da actual maioria do Partido Socialista que governa a maior parte das autarquias de Cabeceiras de Basto.
Infelizmente para todos nós e para a qualidade da democracia, os representantes do PSD, nas reuniões dos diferentes órgãos autárquicos municipais e de freguesia, em desobediência aos “chefes” da Comissão Política, têm pautado a sua posição pela aprovação da quase totalidade dos documentos e propostas que votam e aprovam, para depois aparecerem os dirigentes concelhios do seu Partido a reprovar em público a gestão que os seus pares também aprovaram naquelas reuniões.

Parece assim que estamos em presença de dois partidos num só:

1. O PSD dos eleitos que, apesar de presentes nos órgãos das Autarquias, não questiona, não debate, não contesta, chegando mesmo a votar favoravelmente as propostas que o Partido Socialista apresenta;
2. O PSD dos actuais dirigentes locais, que pela boca do seu Presidente, na Rádio local, no dia 11 de Abril de 2006, disse: «...quando o PSD disser à Assembleia Municipal que o voto é num sentido, se houver um militante que disser e votar o contrário (do Partido) terá o meu convite a abandonar a Assembleia Municipal». Dado que estes dirigentes locais, Francisco Magalhães e Prof. Mário Leite, não fazem parte dos órgãos do Município e da maior parte das freguesias, querem iludir os Cabeceirenses, fazendo de conta que o seu Partido participa, emitindo comunicados à imprensa com insinuações, procurando criar factos políticos artificiais sem qualquer sustentabilidade.
Será desejável que as regras da democracia funcionem e que o rigor, a transparência e a seriedade política, mais do que exigidas em comunicados, sejam praticadas efectivamente e de facto pelos representantes do Partido Social Democrata.
Na democracia e na política há regras e não vale tudo!
Cabeceiras de Basto não precisa de uma oposição só de maldizer, mas de dirigentes partidários responsáveis, que não se sintam incomodados e afrontados com as obras e com as iniciativas que contribuem para o desenvolvimento de Cabeceiras de Basto".

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.