Associação Dinamizadora dos Interesses de Basto
Edição de 29-09-2014

Arquivo: Edição de 15-01-2007

SECÇÃO: Região

Portagens mais caras nas Auto-estradas do distrito

Desde o início de Janeiro que é mais caro circular nas auto-estradas que servem o distrito de Braga e entre elas a ligação a Basto através da A7/IC5.

foto
Desde o início de Janeiro que é mais caro circular nas auto-estradas que atravessam o distrito, nomeadamente na que acede a Cabeceiras de Basto, ou seja a A7/IC5. A Brisa – Auto-estradas de Portugal SA (concessionária da A3) e a AENOR – Auto-estradas do Norte SA (concessionárias da A11 e A7) aumentaram as taxas de portagem na ordem dos 2,66 por cento.
No caso da A7, um veiculo que percorra a totalidade dos 98,5Km entre Vila Nova de Famalicão e Guimarães, vai pagar 8 euros, mais 15 cêntimos do que pagava em 2006. Apenas três dos 12 sub-lanços sofreram aumentos de cinco cêntimos: taxa de portagem entre a EN 206 e o Nó de Famalicão passou de 1,40 euros, para 1,45 euros; entre o Nó de Selho e Guimarães Sul passou de 35 cêntimos para 40 cêntimos e entre Fafe e Basto a taxa de portagem passou e 1,60 euros para 1,65 euros.
Nos casos descritos, o tarifário aplica-se apenas a veículos de classe 1.
Segundo informação divulgada, a AENOR sublinha que as taxas para 2007 “reflectem a actualização tarifária prevista no contrato de concessão” celebrado com o Estado.
De referir ainda que esta actualização se baseia no índice de preços no consumidor, sem habitação para Portugal Continental publicado pelo INE (Instituto Nacional de Estatística), sendo validada através da Inspecção-geral de Finanças e da EP-Estradas de Portugal.

© 2005 Jornal Ecos de Basto - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.